terça-feira, 29 de julho de 2014

Cassada mais uma vez...em dose dupla...

TRE-RN mantém decisão que cassou o mandato de prefeita e vice-prefeito de Baraúna

O Tribunal Regional Eleitoral do Estado do Rio Grande do Norte, à unanimidade de votos, em dissonância com o parecer ministerial, conheceu e negou provimento ao recurso interposto por Antônia Luciana da Costa e Edson Pereira Barbosa para manter a sentença recorrida, que aplicou a pena de cassação dos mandatos de prefeita e vice-prefeito. Foi registrado ainda que foi concedida liminar pelo TSE no Mandado de Segurança nº 37507, atribuindo efeito suspensivo à decisão proferida na ação de impugnação de mandato eletivo, até a publicação do acórdão referente a eventuais embargos de declaração porventura interpostos por quaisquer das partes ou o transcurso do prazo para tanto. Ainda, foi acolhida questão de ordem suscitada pelo relator, juiz Artur Cortez,
quanto à confirmação da condenação pelo colegiado deste Tribunal e publicação do acórdão de eventuais embargos ou transcurso do prazo para sua interposição, determinando-se que seja comunicada, nos termos do artigo 1º, caput, da Resolução n.º 30/2012-TRE/RN, a decisão deste Tribunal ao Juízo da 33ª Zona Eleitoral e à Câmara de Vereadores do município de Baraúna para fins de afastamento dos recorrentes dos cargos de prefeito e vice-prefeito do município, com a posse do presidente da Câmara de Vereadores no cargo de prefeito até que se ultimem os procedimentos para realização de novas eleições na localidade, uma vez se tratar de candidata que alcançou a segunda colocação no pleito. (site oficial do TRE-RN - 29/07/2014).

Obs do blog: Como fica a situação? Bom, o TRE-RN confirmou, por uanimidade (4 x 0) a cassação da segunda colocada e seu vice nos dois processos judiciais que faltavam serem julgados. Entretanto,  eles não serão afastados imediatamente, pois terão direito a entrar em até 3 dias (após a publicação oficial no diário de justiça eletrônico) com embargos de declaração do acordão dessa sentença do TRE-RN. Em outras palavras: se a publicação sair no diário amanhã (31/07), ela deverá entrar até a próxima segunda-feira com os embargos (que são meramente protelatórios - apenas para ganhar tempo) e já poderão ser julgados na próxima semana. Caso sejam negados, o que é mais provável, eles serão afastados mais uma vez e deverão correr para o TSE para conseguir mais duas liminares providenciais para tentar se manter até o julgamento do mérito. Se conseguir as duas liminares, permanece. Se perder somente uma delas, está fora. Mais uma vez deverá assumir o presidente da câmara, mas agora tem um fato que deve ser destacado: O TRE-RN já está ultimando os procedimentos para as novas eleições suplementares que poderão ocorrer concomitantemente com as eleições gerais que deverão ser realizadas em Outubro próximo. A novela permanece e só irá terminar com a realização de novas eleições que acabará com toda essa celeuma. Enquanto isso não acontecer ficará nessa bagunça e o município cada vez mais prejudicado.

O poder que cega...

"campanha de muita luta mas não poupamos esforço fomos a luta, éramos auto-doo de Luciana acreditamos, até pensei que faríamos um grande governo infelizmente fui apenas usado para uma conquista que seria a redenção do povo, mas fui excluído em tão pouco tempo, é a vida, de onde não se espera é de onde vem, o tempo dará as respostas que muitos precisam receber, especialmente os que dizem o que querem de mim sem ter consciência do que dizem, dizem para agradar aos que não honraram os compromissos que tem comigo. os que deixaram a minha calçada por eu não me por de joelhos diante do poderoso professor, eles criticavam os nossos adversários que impediam dos funcionários andarem
em minha casa agora são eles por ordem certamente dos poderosos de hoje também não andam e me condenam por não aceitar tamanha covardia, em outro tempo iria espraguejá agora tenho a quem recorre a meu Deus todo poderoso como justo juiz fará justiça esperarei sem cansar pois quem espera em Deus não cansa. Confio em Deus que alcançarei uma grande vitória vinda das mãos de Deus. Não tenho emprego para garantir aliados, tenho Deus que está acima de tudo até dos poderosos que se acham donos do mundo, estão dizendo que eu estou falando mal de 
Luciana, não, estou decepcionado ela ficaria comigo também se eu fizesse o que ela fez comigo, compreendo seus seguidores eles também estão decepcionados mas não dizem nada na esperança de ser lembrados para um contrato que no final receberão menos que um salário mínimo, eu não estaria escrevendo isso se eles não estivessem me caluniando com mentiras para agradar o todo poderoso professor que defendi com minha própria vida não tinha outra arma a não ser a vida. Ralei quando eles estavam no Pará, fui a única voz que se levantou para defender o professor que estava abandonado a própria sorte, mas cada um dá o que tem. Resta-me compreender, compreenderei o Senhor Deus me dará a força necessária para superar as adversidades que me acostumei a superar sem murmurar. (blog alerta baraúna-Daniel Pereira).
Ditado do povo: "Quer saber quem pessoa? dê poder a ela"

Obs do blog: Prezado amigo Daniel receba minha solidariedade, mas não desanime. Essa decepção que você está sentindo está sendo compartilhada por mais e mais pessoas que aos poucos vão se afastando lentamente da grande decepção administrativa que se tornou esse desgoverno caótico que tenta manter apenas um pequeno grupo devastando os recursos públicos municipais com aquisição de carrões, relógios de ouro puro rolex, esbanjando riqueza e ostentação. Já vimos esse filme no passado e assim como você e tantos outros, cometemos o erro de acreditar que com Luciana, pelo seu histórico de vida, seria diferente. Que seria independente e não seria manietada por mais ninguém como foi seu marido no passado. Triste engano. Foi dez vezes pior e sua imagem hoje em Baraúna é de total submissão a bandidos, agiotas, traidores e pessoas sem caráter algum, para se manter no poder a todo custo.

 Uma péssima imagem e um preço muito caro a se pagar. Será que vale a pena mesmo obter vitórias a esse preço? Mas assim como você, milhares de baraunenses agora percebem o engodo em que caíram, daí o medo tão grande de novas eleições devido a essa alta rejeiçao, tentando desesperadamente se agarrar aos últimos suspiros de poder com liminares provisórias. Bradam aos quatro ventos que o dinheiro pode tudo, que compram juízes a torto e à direita no TSE, que Henrique Alves e José Agripino se uniram para manter essa pouca vergonha em que se transformou Baraúna. Mas esse mesmo discurso nós vimos várias vezes no passado de arrogância e prepotência que cegam as pessoas que sentam provisoriamente na cadeira de prefeito, esquecendo que tudo passa, menos o poder de alguém lá de cima que é vigilante e nunca falha. Vamos em frente.

Olhe o PROS aí gente...

O vereador Maninho está com um sorriso de orelha a orelha após consolidar a implementação do PROS em Natal com a formação da comissão provisória municipal que ficou assim composta:
Presidente: Francimeire (sua esposa)
Vice-presidente: Vereadora Fátima do Juremal
Secretário: Mendonça
Tesoureiro: Zezé
Algumas pessoas desesperadas e sem credibilidade alguma, ainda tentaram "melar"essa organização partidária e até dinheiro chegaram a oferecer a vereadora do Juremal para conseguir o partido para eles. Rasgaram a boca no arame, perderam mais uma vez, devido a total ausência de credibilidade. Fátima do Juremal se manteve fiel a Maninho e juntos iniciam a montagem do partido do PROS, agora de forma efetiva e não apenas de boca como existia antes.



Só você - Vinícius Cantuária


domingo, 27 de julho de 2014

A verdade e nada mais...



Íntegra da decisão...

A decisão que determinou a volta, por intermédio de liminar, da segunda colocada nas eleições tem caráter provisório e se refere somente a esse processo judicial, não abrangendo outros eventuais processos judiciais atualmente em trâmite no TRE-RN. Para tirar qualquer dúvida colocamos abaixo a decisão na íntegra do TSE referente a AC 825-47. Leiam atentamente o teor da decisão, principalmente o seu final.

AÇÃO CAUTELAR Nº 825-47.2014.6.00.0000 - CLASSE 1 - BARAÚNA - RIO GRANDE DO NORTE
Relator: Ministro Luiz Fux
Autores: Antônia Luciana da Costa Oliveira e outro
Advogados: Erick Wilson Pereira e outros
Réu: Ministério Público Eleitoral
Eleição 2012. Ação cautelar. Efeito suspensivo. Recurso especial. Agravo de instrumento. Prefeito e vice-prefeito. Investigação judicial eleitoral. Art. 30-A da Lei nº 9.504/1997. Cassação do diploma. Inelegibilidade. Eleição suplementar (art. 224 do CE). Primeiros embargos considerados manifestamente protelatórios pelo TRE/RN. Negado seguimento ao recurso especial por intempestividade reflexa. Fumus boni iuris. Periculum in mora. Liminar. Deferimento.
DECISÃO
1. Na origem, a Coligação Baraúna Não Pode Parar, Isoares Martins de Oliveira e Maria Elizabete Rebouças ajuizaram ação de investigação judicial eleitoral contra Antônia Luciana da Costa Oliveira e Edson Pereira Barbosa, eleitos para os cargos de prefeito e vice em segundo lugar em Baraúna/RN. Alegaram a existência de abuso do poder econômico por realização de despesas sem a devida correspondência na prestação de contas, bem como diversas outras irregularidades. A representação foi julgada procedente em relação a Antônia Luciana da Costa e Edson Pereira Barbosa para cassar seus diplomas e aplicar-lhes a sanção de inelegibilidade para as eleições que se realizarem nos oito anos seguintes, contados a partir do pleito de 2012. O TRE/RN negou provimento ao recurso eleitoral interposto por Antônia Luciana da Costa e Edson Pereira Barbosa em acórdão assim resumido (fls. 2026-2027):
RECURSO ELEITORAL - AÇÃO DE INVESTIGAÇÃO JUDICIAL ELEITORAL - ABUSO DE PODER ECONÔMICO - DESENTRANHAMENTO DE DOCUMENTOS - PREJUDICIAL DE DECADÊNCIA DO DIREITO DE AÇÃO - REJEIÇÃO - INFLUÊNCIA DO PODER ECONÔMICO NA CAMPANHA ELEITORAL - IRREGULARIDADES APURADAS NA PRESTAÇÃO DE CONTAS - GRAVIDADE DAS CONDUTAS EVIDENCIADA - ABUSO DE PODER ECONÔMICO - CARACTERIZAÇÃO - DESPROVIMENTO - QUESTÃO DE ORDEM - COMUNICAÇÃO DA DECISÃO APÓS PUBLICAÇÃO DO ACÓRDÃO ALUSIVO A EVENTUAL EMBARGOS DE DECLARAÇÃO A SER INTERPOSTO POR QUAISQUER DAS PARTES - ACOLHIMENTO
Esta Corte confirmou em inúmeras oportunidades a interpretação conferida ao art. 397 do Código de Processo Civil, reforçando o entendimento no sentido de que somente é possível a juntada de documentos em sede recursal quando destinados a fazer prova de fatos ocorridos após a manifestação da parte, o que não ocorreu no presente caso, sendo forçoso o desentranhamento dos documentos juntados pelos recorrentes com o apelo. Ante a lacuna existente na Lei Complementar n.º 64/90, o Tribunal Superior Eleitoral estabeleceu em sua jurisprudência um termo final para propositura da ação de investigação judicial eleitoral, a saber, a data da diplomação, referindo-se esta ao candidato em relação ao qual a demanda será proposta. Na espécie, tendo a diplomação da candidata investigada ocorrido em data posterior à dos eleitos, visto ter alcançado a segunda colocação no pleito, o ajuizamento da demanda dentro do prazo de três dias daquela solenidade enseja a sua tempestividade, afastando-se a prejudicial de decadência levantada pelos recorrentes.

Demonstrada nos autos a forte influência do poderio econômico a macular a eleição majoritária realizada no âmbito municipal, por meio de diversas irregularidades de natureza grave apuradas na prestação de contas de campanha, que, em seu conjunto, caracterizam abuso do poder econômico, necessária a manutenção da sentença de primeiro grau, que condenou os recorrentes às penas do art. 22, inciso XIV, da Lei Complementar n.º 64/90.
Gravidade das condutas evidenciada, uma vez demonstrada a arrecadação de recursos à margem da atuação fiscalizadora da Justiça Eleitoral, além da configuração da captação ou gasto ilícitos de recursos, prevista no art. 30-A da Lei das Eleições, caracterizando violação a bens jurídicos distintos (legitimidade do pleito e higidez da arrecadação e gastos de campanha).
 Recurso a que se nega provimento.
Questão de ordem acolhida, com a ressalva do entendimento adotado por este Regional, em sintonia com as orientações constantes de recentes decisões proferidas no âmbito do Tribunal Superior Eleitoral, para determinar que a comunicação desta decisão se realize após a publicação do acórdão alusivo a eventuais embargos de declaração porventura interpostos por quaisquer das partes ou o transcurso do prazo para tanto. Na sequência, Antônia Luciana da Costa e Edson Pereira Barbosa opuseram embargos de declaração, os quais o TRE rejeitou, declarando-os manifestamente protelatórios nos termos do art. 375, § 4º, do Código Eleitoral e aplicando multa aos embargantes no valor de R$2.000,00 (dois mil reais). Antônia Luciana da Costa e Edson Pereira Barbosa interpuseram, então, recurso especial. Daí a presente ação cautelar com pedido de liminar (fls. 2-37), ajuizada por Antônia Luciana da Costa Oliveira e Edson Pereira Barbosa visando a
[...] que seja deferido o efeito suspensivo a recurso que foi interposto a tempo e modo, em face da decisão combatida, nos autos do Recurso Eleitoral nº 9-08.2043.6.20.0033 [sic], sobrestando os efeitos do ato judicial praticado nos autos do referido processo para que os Autores sejam devolvidos aos seus cargos e aguardem nestes o posterior posicionamento da Corte o TSE acerca de suas cassações [...]. (fl. 36)
Os autores sustentam, para a concessão da medida liminar requerida, ser entendimento do Tribunal Superior Eleitoral "a necessidade de se evitar a instabilidade que a alternância de poder nos casos do executivo podem causar nos munícipes [...] que não podem ser acometidos por essa onda de instabilidade" (fls. 4-6).
Alegam tratar-se de "caso em que o Ministério Público Eleitoral opinou pela procedência do recurso, e que sequer vislumbrou a possibilidade do reconhecimento do abuso de poder econômico e da arrecadação e gastos ilícitos de campanha" (fl. 7). Aduzem a presença do fumus boni iuris, evidenciada nas razões do recurso especial eleitoral, o qual informam haver sido interposto tempestivamente - em que pese o acórdão recorrido ter assentado o caráter protelatório dos primeiros embargos por eles opostos. Naquela peça recursal, afirmam terem apontado violação do art. 22, caput e incisos XIV e XVI, da Lei Complementar nº 64/1990, bem como do art. 30-A da Lei nº 9.504/1997. Asseveram, também, a existência de divergência jurisprudencial e ausente gravidade nas condutas analisadas, o que possibilitaria o "reenquadramento fático" pelo TSE (fls. 15-27). Suscitam, ainda, inexistir "no Acórdão atacado [...] argumentos imperativos para aplicar as penalidades insertas no art. 22, inciso XIV, da Lei Complementar nº 64/90 e no art. 30-A da Lei das Eleições [...], considerando como gravidade relativa à prestação de contas em que sequer foi vislumbrada a exorbitância nos gastos tidos como de natureza ilícita" (fl. 15). Afirmam estar configurado o periculum in mora, pois, caso não sejam suspensos, liminarmente, os efeitos do acórdão regional, os autores serão afastados dos cargos (fls. 34-35).  Requerem "seja deferido o efeito suspensivo a recurso que foi interposto a tempo e modo, em face da decisão combatida, nos autos do Recurso Eleitoral nº 9-08.2043.6.20.0033 [sic], sobrestando os efeitos do ato judicial praticado nos autos do referido processo para que os Autores sejam devolvidos aos seus cargos e aguardem nestes o posterior posicionamento da Corte o TSE [sic] acerca de suas cassações"  (fl. 36). Os autos me vieram conclusos durante o recesso forense, para exame quanto a eventual urgência prevista no art. 17 c.c. o art. 10, ambos do RITSE.
Decido.
2. Em consulta ao sistema de acompanhamento processual do TSE, constato que já foi realizado o juízo de admissibilidade, havendo sido negado seguimento ao REspe em decisão de 21.7.2014, publicada em 22 subsequente.
A decisão tem o seguinte teor:
Trata-se de Recurso Especial Eleitoral de fls. 1752/1783, interposto por Antonia Luciana da Costa Oliveira e Edson Pereira Barbosa em face de acórdão desta Corte que, rejeitando os embargos declaratórios por si manejados, conferiu-lhes a pecha de manifestamente protelatórios, impingindo a respectiva multa, ao tempo em que manteve os termos do aresto embargado, que havia negado provimento a recurso eleitoral também por eles interposto, preservando, assim, os termos da sentença de 1º grau que, em sede de ação de investigação judicial eleitoral, os declarou inelegíveis e cassou-lhes o diploma de Prefeito e Vice-Prefeito do Município de Baraúna, cargos que efetivamente exerciam em virtude da cassação, também pela Justiça Eleitoral, da outra chapa que foi a vencedora nas Eleições 2012. Asseveram, em suma, a tempestividade do apelo especial, uma vez que o reconhecimento do caráter protelatório dos embargos teria sido fixado em contrariedade à súmula e julgados dos Tribunais Superiores. Quanto à matéria de fundo, apontam ofensa ao art. 22, caput e incisos XIV e XVI da Lei Complementar nº 64/90 e ao art. 30-A da Lei nº 9.504/97, sustentando a inexistência de abuso de poder econômico e de ilicitude na arrecadação e gastos de campanha. Quanto à matéria de fundo, apontam ofensa ao art. 22, caput e incisos XIV e XVI da Lei Complementar nº 64/90 e ao art. 30-A da Lei nº 9.504/97, sustentando a inexistência de abuso de poder econômico e de ilicitude na arrecadação e gastos de campanha. Alegam, ainda, divergência jurisprudencial entre o aresto desta Corte Potiguar e os entendimentos fixados por outros Tribunais Eleitorais.
É, no essencial, o relatório.
Sem maiores incursões nos demais requisitos admissionais, inclusive quanto à representação processual, verifico, desde logo, que o recurso especial não transpõe a barreira da tempestividade. Eis que o reconhecimento expresso, por parte do Tribunal, no sentido de que o manejo dos embargos de declaração tinha caráter protelatório, atrai, ao meu pensar, a aplicação da parte final do §4º do artigo 275 do Código Eleitoral, verbis:
§4º Os embargos de declaração suspendem o prazo para interposição de outros recursos, salvo se manifestamente protelatórios e assim declarado na decisão que expressamente os rejeitar. Destaques acrescidos.
Seguindo essa linha de entendimento, aliás, decidi nos autos do REspe nº 337-06.2012.6.20.0033, nos quais litigavam praticamente as mesmas partes supra nominadas, contudo, em pólos inversos aos do feito em exame, manifestando-me pela não interrupção do prazo recursal e, por via de consequência, pela extemporaneidade do apelo nobre manejado somente após a publicação do julgamento dos aclaratórios. Na situação versada nos autos, o acórdão relativo ao julgamento do recurso eleitoral foi publicado em 8/7/2014, sendo atacado apenas em sede de embargos de declaração, cujo julgamento conclusivo pelo seu caráter procrastinatório restou publicado em 17/7/2014, havendo a interposição do especial tão somente em 18/7/2014 (fl. 1.752). Logo, ante a manifesta intempestividade do apelo nobre, porquanto manejado somente após a publicação do acórdão que reconheceu o caráter protelatório dos embargos, nego-lhe seguimento.
Ressalte-se, por oportuno, que, apesar de os primeiros embargos terem sido declarados protelatórios pela Corte Regional, a jurisprudência deste Tribunal Superior é iterativa no sentido de não considerar procrastinatórios os primeiros embargos que "tenham por objetivo prequestionar matéria de direito tida como relevante" (REspe nº 13225-64/BA, rel. Min. Gilson Dipp, julgado em 15.5.2012). Em juízo provisório, inerente às medidas cautelares, julgo presentes os requisitos para a concessão da tutela de urgência.  Também se mostra presente o periculum in mora, uma vez que os requerentes foram os segundos colocados na eleição majoritária de 2012 e assumiram os cargos em virtude da cassação dos primeiros colocados.
Tal circunstância recomenda aguardar o julgamento do processo principal, a fim de evitar "o rodízio constante de pessoas na administração municipal. Alterações sucessivas no exercício do cargo de prefeito geram insegurança jurídica, perplexidade e descontinuidade administrativa" (AgRgMS nº 3.345/RN, rel. Min. Humberto Gomes de Barros, julgado em 19.5.2005).
Para o Ministro Ayres Britto,
[...] É de todo inconveniente a sucessividade de alterações na superior direção do Poder Executivo, pelo seu indiscutível efeito instabilizador na condução da máquina administrativa e no próprio quadro psicológico dos munícipes, tudo a acarretar descrédito para o Direito e a Justiça Eleitoral. (AgRgMC nº 2.241/RN, julgado em 20.11.2007)
A propósito, cito o seguinte julgado:
AGRAVOS REGIMENTAIS. AÇÃO CAUTELAR. LIMINAR. ELEIÇÕES 2008. PREFEITO. PEDIDO DE EFEITO SUSPENSIVO A RECURSO ESPECIAL. REQUISITOS PREENCHIDOS. CHEFIA DO PODER EXECUTIVO. ALTERNÂNCIA. NÃO PROVIMENTO.
1. O deferimento de pedido liminar em ação cautelar para atribuir efeito suspensivo a recurso não dotado desse efeito exige a presença conjugada da fumaça do bom direito - consubstanciada na plausibilidade do direito invocado - e do perigo da demora - que se traduz na ineficácia da decisão se concedida somente no julgamento definitivo da ação.
[...]
4. Sucessivas alternâncias na chefia do Poder Executivo geram insegurança jurídica e descontinuidade administrativa e, por esse motivo, devem ser evitadas. Precedente.
5. Agravos regimentais não providos.
(AgR-AC nº 1302-75/BA, rel. Min. Nancy Andrighi, julgado em 30.8.2011)

No mesmo sentido, o AgRgMC nº 1.702/SP, rel. Min. Caputo Bastos, julgado em 22.9.2005, segundo o qual, "este Tribunal Superior tem ponderado ser conveniente evitar sucessivas alterações no exercício dos mandatos eletivos, em especial da chefia do Poder Executivo" .
E, ainda, conforme ressaltou a Ministra Ellen Gracie, no Supremo Tribunal Federal:
Restrinjo-me, nesse momento, à verificação do requisito do perigo na demora. E ao fazê-lo, concluo que nada recomenda a posse precária da requerente na administração do Município de Santarém quando próximo, ao que tudo indica, o julgamento de seu recurso extraordinário nesta Suprema Corte, já admitido pela Presidência do egrégio Tribunal Superior Eleitoral. É que, no caso, o perigo na demora revela-se inverso, na medida em que eventuais sucessivas mudanças no comando da municipalidade poderão gerar indesejável insegurança jurídica e graves riscos ao erário e à própria continuidade dos serviços públicos locais.
(AC 2.294/PA, DJE 17.3.2009)

3. Ante o exposto, defiro a liminar pleiteada para suspender os efeitos do acórdão regional exarado no RE nº 9-08/RN até o termo final do prazo para interposição de eventual agravo de instrumento contra a decisão que negou seguimento ao recurso especial e, uma vez interposto, até que o TSE proceda ao seu julgamento e, eventualmente, ao do próprio recurso especial.
Comunique-se, com urgência, ao TRE/RN.

Cite-se.
Publique-se.
Em seguida, encaminhem-se os autos ao gabinete do ministro relator.
Brasília, 23 de julho de 2014.
Ministro GILMAR MENDES
Presidente em exercício
(Art. 10 do RITSE)


Obs do blog: A decisão é bem clara e em bom português como já afirmei na postagem de ontem, ou seja, a decisão se refere ao RE nº 9-08/RN que negou o recurso especial da segunda colocada contra sua cassação tanto na primeira instância como na segunda instância. Em nenhum momento o TSE se refere a outros processos judiciais, mas somente se refere a decisão que negou seguimento ao recurso especial e nada mais. A decisão foi essa e está disponível para qualquer leitor no site do TSE. Em outras palavras, tudo pode acontecer daqui para frente. A segunda colocada pode permanecer, o primeiro colocado pode voltar, os dois podem sair e o presidente da câmara pode assumir mais uma vez e ter novas eleições. Agora cada um que puxa pra seu lado e conta sua vantagem. Mas a verdade é essa e nada mais. Contra os fatos não existem argumentos. Vejamos o que pode acontecer nos próximos dias como me solicitou um leitor desse blog:
a) Existem dois processos judiciais de cassação em primeira instância contra a segunda colocada que podem entrar em pauta nessa próxima semana no TRE-RN. Existe uma briga nos bastidores com um lado tentando empurrar esses julgamentos com a barriga para frente, inclusive uma das opções é tentar fazer um juiz "adoecer" repentinamente, como forma de postergar a entrada desses processos na pauta. Caso eles entrem na pauta e seja referendada a decisão da primeira instância que cassou a segunda colocada, o TRE-RN poderá tomar duas decisões: confirma a cassação e mantém ela no poder até que seja julgado pelo TSE ou determina seu afastamento imediato com a assunção do presidente da câmara. Nesse último caso, a segunda colocada teria que conseguir imediatamente mais uma ou duas  liminares no TSE referente a esse processos para se manter no poder enquanto eles cheguem ao TSE para serem julgados;

b)  O primeiro colocado nas eleições tem duas ações judiciais tramitando no TSE pedindo, através de liminar, o seu retorno a prefeitura enquanto os mesmos processos sejam julgado em definitivo pelo TSE. Pode conseguir? pode. Mas também pode ser negado. Mas existe efetivamente a possibilidade de seu retorno e isso não pode ser descartado.
c) De qualquer forma essa situação não vai durar indefinidamente. Tanto o primeiro colocado como a segunda colocada tem vários processos de cassação, tanto em primeira instância como em segunda instância. Essa instabilidade jurídica só se resolveria definitivamente com as novas eleições como deseja o poder judiciário onde quem ganhasse completaria o mandato com mais tranquilidade, seja quem for. Não significa que seja a solução ideal, mas em 90% dos municípios em que foram realizadas novas eleições a instabilidade deixou de existir. Vamos aguardar.


 Quem tem culpa..

"valdecir to enojando com tanta demagogia de vcs blogueiros, vc daniel ruberlanio, em fim todos, sei q vcs sabem quem mais tem culpa nessa situação de barauna, ficam colocando culpas pra cima do judiciario, politicos , e nunca falam em quem tem realmente a culpa, muito pelo contrario por vcs serem politicos não tem coragen de apontar os verdadeiros culpados, sei muito bem q vc e muito inteligente, e sabe de quem é verdadeiramente a culpa, mais como vc não quer falar vo refrescar sua memorias e de todos q estão defendendo os verdadeiros culpados, siga meu raciocinio, juiz, desembargador, ministros, não criam a lei , nem montam processos, nem muito menos vem na cidade atraz dos
problemas, então amigo valdecir ta bem claro, q os verdadeiro culpado são o POVO, pq falo isso , se o povo não cobrasse nada pra vota não geraria processos, e não tinha nada pra ninguem julgar, nem como uma parte entrar contra outra, faça o teste vc mesmo, ta todo mundo reclamando né isso, todo morador de barauna ta por dentro da situação e os problemas q ta passando barauna e reclamando muito, agora saia pedindo voto com proposito, q vc vai ser diferente q vai ajeitar a saude a educação trazer mais segurança, pra ver oq esse mesmo povo q ta reclamando fala, aposto com vc q vai ser pela uma boca só, quero saber disso não, so sei q to precisando ajeitar minha casa, emplacar minha moto, pagar as prestação do meu carro, se não arranjar não voto em ninguem, então amigo to cansado de ver vcs so falando dos politicos judiciario, advogados, e demagogamente, defendendo quem tem a verdadeira culpa, eu vi na radio de barauna aquele riqyuinho, metendo o pau em politicos no judiciario, so não vi ele falando do povo q so voto em troca de algo, tive vontade de ligar pra lá e dizer a ele ao vivo quem são os verdadeiros culpados, espero amigo q vc publique pra ver se as pessoas lendo isso reflita mais um pouco e vote em quem tem realmente propostas de mudanças pra nossa cidade, ai sim garanto q não gera nem um processo." (comentarista anônimo).

Família de Gideão Lemos e Walkiria Fernandes a quem agradecemos a leitura diária desse blog




Vereador Maninho e família a quem também agradecemos a leitura desse blog

Leandro Prudêncio - candidato a deputado estadual pelo PHS - 3111

Parece um cartão postal feito no computador..mas a imagem é real e fruto de
um fenômeno..O encantador mar brilhante, segundo especialistas, é resultado
de uma reação química chamada bioluminescência. O fenômeno acontece a
partir do fitoplâncton phytoplanktons bioluminescentes, que são criaturas
marinhas microscópicas que geram luz como mecanismo de sobrevivência.
A luz azul cobre as ondas que ficam mais próximas da areia, gerando esse
resultado surreal


                                        Luar do sertão - Luiz Gonzaga e Milton Nascimento


sábado, 26 de julho de 2014

A farsa hipócrita...

 Besteirol explícito...

Tem certo absurdos que a gente observa no besteirol falado pelos advogados que beira o ridículo na defesa de seus clientes, esquecendo que as outras pessoas pensam e contra os fatos não existe argumentos. Vejamos um claro exemplo dessa imbecilidade:

O que existe é o desejo do Judiciário de fazer novas eleições (em Baraúna), mas essa não é a hipótese prevista no Código Eleitoral. Não é porque cassou o primeiro lugar (nas eleições) que vai ter que cassar o segundo colocado”, disse o advogado Erick Pereira, que defende a prefeita Luciana Oliveira.   O advogado observou que a decisão monocrática do ministro Gilmar Mendes foi pela “razoabilidade e ponderação”. “Eu mostrei ao ministro que foi mero erro formal (o fato de não ter declarado R$ 4.500), passível de correção. O ministro valorou como desproporcionalidade (a decisão do TRE) e mandou voltar (a prefeita)”, relatou Erick.

Ora senhores é claro que existe o desejo do judiciário de regularizar a bagunça jurídica em que se transformou Baraúna após a eleição de 2012  e a hipótese de nova eleição suplementar está prevista sim, tanto é que já foram realizadas inúmeras em todo país com o aval dos TRE's regionais e do próprio TSE. Em Mossoró, só para citar um exemplo, a justiça cassou o primeiro colocado, cassou o segundo colocado e realizou novas eleições, portanto mais uma idiotice dita por um advogado que sabe muito bem como a coisa "funciona" nos tribunais. A única coisa que ele "esqueceu" de mostrar ao ministro é que a segunda colocada tem mais dois processos de cassação nas costas, portanto não seria somente a ausência de um simples erro formal em um processo que levaria a primeira instância e a segunda instância a cassar seu mandato e torná-la inelegível por 08 anos. Em breve os senhores entenderão o porquê - decifra-me ou te devoro. Vamos em frente. Agora querer botar papinha na boca dos outros é agredir a inteligência alheia. Todos sabem muito bem o que "gerou" essa liminar provisória, inclusive ele mesmo, e o resto é pura hipocrisia.


O povo cansou...

O sentimento de frustração da população é com o retorno mais uma vez de uma prefeita totalmente manipulada pelo outros, nas mãos de agiotas e realiza um governo desastroso onde os cofres públicos são dizimados vergonhosamente para aquisição de carrões de luxo, relógio rolex de ouro puro, pagamentos aos agiotas das dívidas de campanha de 2012  e pagamentos milionários a advogados para bancar os processos judiciais, tudo isso às custas da "viúva". Uma prefeita que não cumpre com os compromissos de campanha com seu ninguém e que passa uma imagem altamente negativa de manietada pelos outros para a população. Esse é o sentimento de revolta da população e é fácil perceber isso ao conversar com qualquer cidadão que não seja diretamente beneficiado pela prefeitura. Vejam o que colocou o vereador Ruberlândio com muita sabedoria (espero que agora ele não vá agora arrotar o que disse e falar justamente o contrário):

"Será que está situação deplorável em que Baraúna se encontra não seria o momento de colocarmos a mão na consciência e ver o que temos feito de nosso voto, Foi pra isto Baraúna que você foi as urnas? Tenho certeza que não e os relatos de moradores humildes e honrados também me dizem que não. Mas ate quando vamos aceitar este tipo de situação? Sinto que o povo chegou no seu limite, até das situações ruins como esta é possível se tirar lições e renovar. Pra encerrar em todas as comunidades e com quase todos os cidadãos e cidadãs que conversei é unanime a vontade de novas eleições e que se coloque um ponto final neste episodio negro na historia de Baraúna. (Ruberlândio Queiroz - O povo cansou - 23/07).

O PROS vai existir de verdade...

O vereador Maninho já tinha sido alertado que o PROS em Baraúna simplesmente não existia, basta qualquer cidadão consultar o sistema FILIAWEB que irá perceber que todos os demais partidos possuem registros partidários e filiações, enquanto o PROS sequer aparece, ou seja, simplesmente não foi feito nada pelo ex-presidente Arimatéia. Basta citar que a vereadora Fátima do Juremal se desfiliou do PMN, assim como outras pessoas, em outubro de 2013 para entrar no PROS e até hoje sua certidão eleitoral evidencia que ela não está simplesmente filiada a nenhum partido político. Maninho foi convidado pelo Raimundo Fernandes e por Ricardo Mota para assumir o controle do partido em Baraúna e organizar essa situação. Tendo em vista que Maninho é vereador do PMDB e a legislação eleitoral não permite que ele saia do partido, pois perde o mandato que na verdade é do partido, ele indicou sua esposa para assumir a presidência e a vereadora Fátima do Juremal ficará na 
vice-presidência. Maninho agiu habilidosamente para sua sobrevivência politica haja vista as traições e tentativas de puxadas de tapete que tentaram contra ele, inclusive querendo "comprar" o seu mandato por aqueles que diziam serem seus "amigos". O grupo será ampliado e manterá também vários companheiros que pensavam estar no PROS e na verdade não estavam como, por exemplo, Raimundo do Poço Novo, Wilson Cabral e Roldão Rosa. Outra coisa que não tem nada a ver e totalmente sem fundamento seria uma suposta "interferência" do presidente da câmara Tértulo Alves do PMN que sequer participou das conversas. Agora que tinha gente interessada nesse partido tinha, mas a total falta de credibilidade pesou nessa hora onde o próprio Ricardo Mota afirmou: "Aqui na Assembleia legislativa todos conhecem a figura e ele prometeu voto a todo mundo aqui. Não tem credibilidade alguma". Um doce de coco para quem adivinhar quem é...adivinhões....


                                                          A cigana - Roberto Carlos


sexta-feira, 25 de julho de 2014

A novela continua...

A novela continua...

A mais recente alteração de poder em Baraúna, pela nona vez em menos de dez meses, mostra o total descrédito da justiça eleitoral em tentar resolver definitivamente essa situação, no qual as novas eleições seria a solução adequada para resolver definitivamente essa pendenga.
Primeiro, porque ao contrário do que estão alardeando, a decisão não coloca a segunda colocada nas eleições de 2012 definitivamente no poder. Apenas não permite mais alterações de poder pelo TRE-RN até que seja julgado no mérito pelo próprio TSE o recurso especial contra a decisão que a cassou em primeira e segunda instâncias. Mas isso não impede que o próprio TSE volte a reconduzir ao poder o primeiro colocado nas eleições que possui duas ações solicitando esse mesmo direito no TSE desde fevereiro desse ano, que, estranhamente, não foram julgadas até agora, enquanto o pedido de liminar da segunda colocada foi deferido em menos de 01 semana. Algo não está batendo aí, haja vista que pessoas andavam gritando aos quatro ventos em Baraúna que essa volta era certa e "garantida". Isso se chama zombar da justiça e da própria sociedade baraunense, onde o que importa é o dinheiro investido. Daí a presença frequente dos agiotas na prefeitura quando da entrada da segunda colocada.
O outro fator negativo é justamente o temporal, pois esse entra e sai constante poderá arrastar essa decisão final para 2015 ou, pasmem os senhores, para 2016 quando já ocorrer as eleições regulamentares previstas para prefeito criando uma aberração jurídica jamais vista. Em nosso entendimento o TSE cometeu dois erros crassos: primeiro ao colocar no poder novamente a segunda colocada nas eleições de 2012 quando a coisa já poderia ser resolvida através de novas eleições imediatamente. Outro erro foi não ter reconduzido o primeiro colocado nas eleições, haja vista que os processos foram os mesmos e ele já tinha solicitado essa recondução bem antes, o que poderá ser corrigido em breve e provocar uma nova alteração de poder, segundo as últimas informações.
No frigir dos ovos, o que o TSE determinou foi que não houvesse mais alterações de poder por parte do TRE (instância inferior) enquanto não seja julgado definitivamente esse recurso especial da segunda colocada pelo próprio TSE, mas isso não inviabiliza que o próprio TSE determine essa alternância de poder por dois motivos: ou para entrar o primeiro colocado provisoriamente pelas duas ações que já possui no próprio TSE (instância máxima) ou pelo próprio julgamento do recurso especial da segunda colocada. De qualquer forma o TSE consegue postergar uma decisão definitiva sobre essa pendenga e pode submeter o município a mais alternâncias de poder sem a resolução definitiva dessa instabilidade. A população baraunense quer as novas eleições e isso é só que se escuta nas ruas.


                                                            Luiz Gonzaga e Dominguinhos


segunda-feira, 21 de julho de 2014

Curtinhas...

Curtinhas..

O vereador Flávio Mathias aceitou o convite e será o secretário da educação baraunense mais uma vez. Ele efetuou um excelente trabalho na primeira vez que assumiu a convite do prefeito Tértulo Alves, demonstrando habilidade no exercício do cargo. O novo secretário alerta que hoje (segunda-feira) não haverá aulas nas escolas para montagem de toda equipe de trabalho. A nomeação de Flávio Mathias abre espaço para que a suplente de vereadora Neusa Oliveira, merecidamente, assuma mais uma vez na câmara municipal.

Quem faz o povo reconhece...

Justamente por ser o responsável direto pela vinda, implantação e inauguração definitiva da Base de Segurança Baraúna Segura que trouxe mais segurança para a sociedade baraunense, o prefeito Tértulo Alves ganhou a simpatia da população que reconhece o seu trabalho e deseja sua permanência. O prefeito Tértulo deu uma aula de administração na primeira vez que assumiu, pagando todos os compromissos financeiros da prefeitura, inclusive pagando antecipadamente ao funcionalismo. Sua atuação naturalmente provocou a inveja e a ciumeira do pequeno grupo que estava acostumado somente a "sugar" a viúva. Daí a gama de apoios políticos que possui e se amplia cada vez mais.

O estouro...

O ferrolho da porteira que ainda segura uma boa parte das pessoas que ainda ficaram com a segunda colocada nas eleições de 2012 durante o período em que ela assumiu por 30 dias está se amparando apenas numa possível liminar pelo TSE (última instância) que conceda seu retorno provisório mais uma vez a prefeitura enquanto é julgado o mérito final do processo em que ela foi cassada definitivamente pela primeira e segunda instâncias. Se conseguir ainda vai segurar esse grupo que diminui cada vez mais. Se não conseguir, sai da frente que a debandada vai ser geral. Por outro lado o prefeito que foi eleito nas eleições de 2012, Isoares Martins, dorme, acorda, almoça e janta, só pensando em conseguir essa mesma liminar que está "enganchada" no TSE desde fevereiro. Caso consiga, volta a reagrupar as pessoas que defendiam as cores da bandeira azul (hoje quase branca e esquecida). Caso não consiga, deverá se dedicar as suas atividades profissionais e as poucas pessoas que ainda desejam sua volta tomarão outro rumo. Se não ocorrer novas eleições em breve, Baraúna continuará nessa instabilidade administrativa sem fim. Vamos aguardar. 

Sorrir pra quê? o que a gente quer é ganhar o Hexa.

Muitas pessoas criticaram o possível anúncio do técnico Dunga para assumir a seleção brasileira, mas seu retrospecto no período em que ficou no comando da seleção brasileira trabalha a seu favor. Dunga comandou a seleção em 68 jogos obtendo 49 vitórias, 12 empates e apenas 7 derrotas. Dunga assumiu em 24 de Junho de 2006 e ficou até a copa de 2010. Conquistou a copa América de 2007 e a copa das confederações de 2009. Saiu da seleção somente após a derrota por 2 x 1 para a Holanda (que tinha em seu elenco a maioria dos jogadores dessa seleção da Holanda de 2014) nas quartas de finais da copa de 2010. Conhecido pelo estilo retranqueiro, mas vitorioso, como aconteceu na copa de 1994. É justamente nisso que giram os debates: adianta jogar bonito e encantar o mundo como em 1982 e perder, ou jogar um futebol truncado e ganhar como em 1994? ou seria preferível jogar como em 2002?  claro que iria preferir jogar como em 2002, mas só que naquela ocasião o Brasil tinha craques no auge como Ronaldo fenômeno, Ronaldinho Gaúcho, Rivaldo e Cafu. Hoje o Brasil praticamente se resume a raros momentos de genialidade de Neymar e as posturas defensivas de Thiago Silva e David Luiz. A criatividade do meio campo foi abolida por falta de craques. O Brasil foi enfrentar a Alemanha de peito aberto e levou uma lavada. Enfrentou a Holanda de forma mais cautelosa e outra lavada, se bem que menor. O Dunga age com seriedade, com treinos fechados e não dá preferência absoluta a rede Globo como fazem os outros técnicos. Trata a imprensa igualmente. Ninguém quer que ele seja simpático. Querem o hexa na Rússia. 

Frase do dia: "Dize-me com quem tu andas que eu te direi quem tu és"


                                                            Telegrama - Zeca Baleiro


domingo, 20 de julho de 2014

Rapidinhas domingueiras...

Luciana deixou a saúde baraunense na UTI...

"Com volta de Tértulo Alves à prefeitura de Baraúna, Luís Miranda que é conhecido por sua competência na área de saúde, assumiu já na quinta-feira a pasta da saúde, encontrou novamente a pasta num desmantelo total, para os senhores terem uma ideia o recursos do PABRE VARIÁVEL que paga os PSF estão bloqueados no Ministério da Saúde e Baraúna não recebeu o mês de junho e corre o risco de não receber o de julho, num total de um prejuízo de 500 mil reais para o município, a farmácia básica sem remédios e os remédios controlados para doenças crônicas também em falta, mas mostraram nos blogs do contras uma farmácia virtual, apenas uma montagem, de posse de um
grande lista de remédios, Luís providencia a compra deste medicamentos, se não muitos idosos podem morrer sem tomar estes remédios, por exemplo, se eu não tomar meus remédios de diabete eu entro em coma, e muitos baraunense estão nestas condições de saúde, o pior distribuíram uma fardamento no hospital que tinha sido comprado por Isoares Martins, procuram trocar a logomarca, mas em muitas a logomarga do governo de Isoares é vista ao olho nú, as mudanças de prefeito só tem causado prejuízo ao nosso povo quando Luciana assume a prefeitura, quanto a Isoares e Tertinho cumpriram o seu papel." (blog Baraúna notícias)

Obs do blog: A saúde em Baraúna foi totalmente desarticulada com a entrada novamente da ex-prefeita via liminar. Durante 30 dias ela conseguiu desmontar todo o trabalho deixado pelo presidente da câmara Tértulo Alves. Tirou o carro da saúde da zona sul que ficou completamente abandonada e ao Deus dará. Deixou faltar medicamentos essenciais no hospital que ficou mais de 20 dias sem uma Benzetacil sequer para aplicar nos pacientes. Um verdadeiro horror. A única coisa que chegou em Baraúna foi uma ambulância que já tinha sido licitada com os recursos aprovisionados no governo de Tértulo Alves (que aliás são duas e a ex-prefeita só comprou uma). Esse desastre não pode voltar a ocorrer em Baraúna. Ainda bem que Luis Miranda reassumiu suas funções como secretário da saúde e vai tentar reconstruir mais uma vez esse desmantelo.

A gratidão não é somente uma virtude...é a mãe de todas as outras...

"...chamou quem quis para fazer parte do governo e não me chamou só pela interferência de alguns amigos me mandaram chamar e como toda Baraúna esperava que eu fosse um dos primeiro a ser chamado a minha portaria foi a sento e sessenta e dois para quem deveria ser um dos primeiros, isso na primeira vez que ela entrou no governo, na segunda vez não me chamara para nada, se alguém tem saco para tanta humilhação eu infelizmente não tenho não....fui enganado por quem deveria me agradecer, mas se alguém acha que eu a deixei a vaga está aberta faça bom uso dela" (Blog Alerta Baraúna - Daniel Pereira)

Obs do blog: Daniel Pereira foi mais um dos soldados de campanha e aquele amigo das horas mais difíceis que é justamente quando você está fora do poder e próximo de uma campanha eleitoral, que foi totalmente escanteado quando chegou a hora boa, ou seja, quando se assume o poder. Tudo que ele fala na sua crônica é verdade e sou testemunha disso. Mas assim como ele, são muitos que estão abrindo os olhos para tanta ingratidão. Na hora de comer pão com água e poeira na estrada se amparou em Daniel Pereira. Na hora de comer o caviar se lembrou dos adversários e dos traidores da campanha. Mas ficou o exemplo para o futuro e tem muita gente, mas muita gente mesmo que plantou um pé de "cá te espero". Vamos em frente.

Montagem da equipe...

Os primeiro atos do governo Tértulo Alves mostram prudência na montagem da equipe de governo em sua nova gestão. Ao contrário do que muita gente pensa, ele exonerou somente os cargos comissionados, ou seja, todas aquelas pessoas que foram nomeadas por portaria, até porque cargo comissionado está vinculado a confiança. todo prefeito que entra quer trabalhar com suas pessoas de confiança, fato mais do que natural e existente em todos os municípios. Quem está reclamando é porque perdeu a "boquinha" e tinha rabo preso na prefeitura, inclusive tinha um vereador que só indicação de contratos na educação fez mais de oito, além de outros benefícios extras. Outro foi nomeado com cargo comissionado exclusivamente para defender a ex-prefeita, ou seja, era pago somente para isso.  Aliás, a mesma atitude de exoneração dos cargos comissionados foi tomada também pela ex-prefeita provisória que ficou em segundo lugar nas eleições passadas que exonerou e botou para fora todos os cargos comissionados quando entrou por via de liminar em 17 de Junho (vejam o decreto abaixo para quem tem alguma dúvida). 

GABINETE DO PREFEITO
PORTARIA Nº 729, DE 17 DE JUNHO DE 2014.
Exonera Cargos Comissionados e dá outras providências.
A Prefeita Municipal de Baraúna, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais e,
R E SO L V E :
Art. 1º - E X O N E R A R, a partir de 17 de junho de 2014, na estrutura operacional do Poder Executivo, todos os ocupantes dos cargos de provimento em comissão. Art. 2º - Esta portaria entrará em vigor na data de sua publicação, com efeitos retroativos à data de sua assinatura.
REGISTRE-SE, PUBLIQUE-SE e CUMPRA-SE.
Centro Administrativo Francisco Bezerra Sobrinho
Gabinete do Prefeito
Baraúna-RN, 17 de junho de 2014
32º ano de fundação.
ANTÔNIA LUCIANA DA COSTA OLIVEIRA
Prefeita

Quanto aos contratados todos permaneceram normalmente e devem continuar a exercer suas atividades nos locais onde trabalham sem qualquer problema. Em alguns locais de trabalho, principalmente nas escolas, ocorreu a desinformação de que todos teriam sido exonerados incluindo comissionados e contratados. Na verdade só foram exonerados os comissionados (nomeados por portaria). Os contratados de todas as secretarias podem continuar a exercer suas atividades normalmente na segunda-feira. Essa instabilidade política somente será resolvida com a realização de novas eleições que já gerou 08 alterações de poder em menos de 10 meses. Quem tem medo de novas eleições é porque quer continuar "sugando" a viúva.

Dilma em queda livre....

Pesquisa Datafolha divulgada nesta quinta-feira pela TV Globo e pela “Folha de S. Paulo" mostra que a presidente Dilma Rousseff (PT) ainda lidera a disputa com 36% das intenções de voto contra 20% de Aécio Neves (PSDB), mas, pela primeira vez, a diferença dela para o tucano no segundo turno caiu para apenas quatro pontos percentuais, a mais baixa do levantamento feito pelo instituto, configurando empate técnico, já que a pesquisa tem margem de erro de 2 pontos para mais ou para menos. Se a eleição do segundo turno fosse hoje entre Dilma e Aécio, a petista teria 44% dos votos e o tucano teria 40%.
Na pesquisa anterior sobre o segundo turno, realizada nos dias 1 e 2 de julho, Dilma tinha 46% contra 39% de Aécio, com uma diferença de sete pontos. Na disputa de Dilma com Eduardo Campos (PSB), a presidente teria agora 45% contra 38% do ex-governador de Pernambuco. Na pesquisa anterior, Dilma tinha 48% e Campos, 35%.Segundo a pesquisa Datafolha, que ouviu 5.377 pessoas nos dias 15 e 16 de julho, Dilma ainda lidera a disputa e teria 36% das intenções de voto, contra 20% de Aécio, 8% de 
Eduardo Campos (PSB) e 3% do Pastor Everaldo. Os votos brancos e nulos eram 13% e os que não sabiam em quem votar eram 14%. Dilma oscilou negativamente dois pontos, já que na pesquisa realizada nos dias 1º e 2 de julho ela tinha 38% (contra 20% de Aécio e 9% de Eduardo Campos). Na última pesquisa, feita nos dias 1º e 2 de julho, Dilma tinha 38%, Aécio 20%, e Eduardo Campos 9%. Os brancos e nulos eram 13% e não sabiam em quem votar eram 11%. Juntos, todos os candidatos rivais de Dilma somam 36%, mesmo percentual atribuído à petista, o que fortalece ainda mais a expectativa de realização de segundo turno.
DESAPROVAÇÃO DO GOVERNO BATE RECORDE E ÍNDICE DE REJEIÇÃO DE DILMA É O MAIOR ENTRE OS CANDIDATOS
Na medida em que o segundo turno fica mais próximo, também aumenta a desaprovação ao governo da presidente Dilma: 29% desaprovam a gestão da presidente petista. Na pesquisa realizada nos dias 1º e 2 de julho, Dilma era desaprovada por 26%, que disseram que seu governo era ruim ou péssimo. O total de eleitores que classificam a administração como boa ou ótima é de 32%, praticamente o mesmo percentual apurado em junho de 2013. Naquela época, a taxa de aprovação à gestão da presidente despencou de 
57% para 30%. Os que acham que o governo é regular somam 38%. A taxa de 29% de desaprovação da gestão Dilma é a maior da série, desde março de 2011. A taxa de rejeição da presidente Dilma também subiu de 32% para 35%. Depois dela, o candidato mais rejeitado é o Pastor Everaldo (PSC) com 18% de rejeição. Aécio oscilou de 16% para 17% e Eduardo Campos manteve os 12% da pesquisa anterior. O empate técnico entre a presidente Dilma Rousseff e o senador Aécio Neves divulgado pelo Instituto Datafolha em simulação de segundo turno está diretamente relacionado à queda na avaliação do governo da presidente. Essa é a opinião do cientista político Fernando Antônio de Azevedo, da Universidade Federal de São Carlos (UFScar). O professor ainda acrescenta que, “pela primeira vez, a oposição vislumbra uma possibilidade efetiva de ganhar as eleições deste ano”. — Esse dado (empate 
técnico no segundo turno) está relacionado com a avaliação do governo da presidente. O ruim/péssimo está muito próximo do ótimo/bom, com número expressivo de avaliação regular — avalia Azevedo.
A exemplo de Azevedo, o cientista político Cláudio Couto, da Fundação Getúlio Vargas (FGV), acredita que a eleição deve ser muito disputada. Ele observa que, nas simulações de segundo turno, os candidatos da oposição têm apresentado curvas ascendentes nas últimas pesquisas, enquanto que Dilma registra o contrário. Couto salienta que a avaliação positiva do governo da presidente tem caído após uma ligeira recuperação e os índices estão próximos aos registrados após os protestos de junho do ano passado. — Há uma tendência de piora na avaliação do governo. A melhora após queda em julho do ano passado foi revertida. Houve uma piora com índices num patamar muito parecido com aquele pós-manifestações. E a presidente volta a ter essa pior avaliação às vésperas da disputa eleitoral — disse Couto.


                                                  Cheia de charme - Guilherme Arantes