sábado, 25 de outubro de 2014

Rapidinhas do sábado....

Mar de lama...corrupção e roubalheira explícita do PT... O doleiro Alberto Youssef afirma em depoimento à Polícia Federal que o ex e a atual presidente da República não só conheciam como também usavam o esquema de corrupção na Petrobras...

Na última terça-feira, o doleiro Alberto Youssef entrou na sala de interrogatórios da Polícia Federal em Curitiba para prestar mais um depoimento em seu processo de delação premiada. Como faz desde o dia 29 de setembro, sentou-se ao lado de seu advogado, colocou os braços sobre a mesa, olhou para a câmera posicionada à sua frente e se pôs à disposição das autoridades para contar tudo o que fez, viu e ouviu enquanto comandou um esquema de lavagem de dinheiro suspeito de movimentar 10 bilhões de reais. A temporada na cadeia produziu mudanças profundas em Youssef. Encarcerado des­de março, o doleiro está bem mais magro, tem o rosto pálido, a cabeça raspada e não cultiva mais a barba. O estado de espírito também é outro. Antes afeito às sombras e ao silêncio, Youssef mostra desassombro para denunciar, apontar e distribuir responsabilidades na camarilha que assaltou durante

quase uma década os cofres da Petrobras. Com a autoridade de quem atuava como o banco clandestino do esquema, ele adicionou novos personagens à trama criminosa, que agora atinge o topo da República.  Comparsa de Youssef na pilhagem da maior empresa brasileira, o ex-diretor Paulo Roberto Costa já declarara aos policiais e procuradores que nos governos do PT a estatal foi usada para financiar as campanhas do partido e comprar a fidelidade de legendas aliadas. Parte da lista de corrompidos já veio a público. Faltava clarear o lado dos corruptores. Na ter­ça-feira, Youssef apre­sentou o pon­­to até agora mais “estarrecedor” — para usar uma expressão cara à pre­sidente Dilma Rous­seff — de sua delação premiada. Perguntado sobre o nível de comprometimento de autoridades no esquema de corrupção na Petrobras, o doleiro foi taxativo:
— O Planalto sabia de tudo!
— Mas quem no Planalto? — perguntou o delegado.
— Lula e Dilma — respondeu o doleiro.
]
Para conseguir os benefícios de um acordo de delação premiada, o criminoso atrai para si o ônus da prova. É de seu interesse, portanto, que não falsifique os fatos. Essa é a regra que Yous­sef aceitou. O doleiro não apresentou — e nem lhe foram pedidas — provas do que disse. Por enquanto, nesta fase do processo, o que mais interessa aos delegados é ter certeza de que o de­poente atuou diretamente ou pelo menos presenciou ilegalidades. Ou seja, querem estar certos de que não lidam com um fabulador ou alguém interessado apenas em ganhar tempo for­necendo pistas falsas e fazendo acu­sações ao léu. Youssef está se saindo bem e, a exemplo do que se passou com Paulo Roberto Costa, o ex-diretor da Petrobras, tudo indica que seu processo de delação premiada será homologado pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Na semana passada, ele 

aumentou de cerca de trinta para cinquenta o número de políticos e autoridades que se valiam da corrupção na Petrobras para financiar suas campanhas eleitorais. Aos investigadores, Youssef detalhou seu papel de caixa do esquema, sua rotina de visitas aos gabinetes poderosos no Executivo e no Legislativo para tratar, em bom português, das operações de lavagem de dinheiro sujo obtido em transações tenebrosas na estatal. Cabia a ele expatriar e trazer de volta o dinheiro quando os envolvidos precisassem.  Uma vez feito o acordo, Youssef terá de entregar o que prometeu na fa­se atual da investigação. Ele já con­tou que pagava em nome do PT mesadas de 100 000 a 150 000 reais a ­parlamentares aliados ao partido no Congresso. Citou nominalmente a ex-mi­nistra da Casa Civil Gleisi Hoff­mann, a quem ele teria repassado 1 mi­lhão de reais em 2010. 

Youssef disse que o dinheiro foi entregue em um shopping de Curitiba. A senadora ne­gou ter sido beneficiada.  Entre as muitas outras histórias consideradas convincentes pelos investigadores e que ajudam a determinar a alta posição do doleiro no esquema — e, consequentemente, sua relevância pa­ra a investigação —, estão lembranças de discussões telefônicas entre Lula e o ex-deputado José Janene, à época líder do PP, sobre a nomeação de operadores do partido para cargos estratégicos do governo. Youssef relatou um episódio ocorrido, segundo ele, no fim do governo Lula. De acordo com o doleiro, ele foi convocado pelo então presidente da Petrobras, Sergio Gabrielli, para acalmar uma empresa de publicidade que ameaçava explodir o esquema de corrupção na estatal. A empresa quei­xa­va-­se de que, depois de pagar de forma antecipada a propina aos políticos, tive­ra seu contrato rescindido. Homem da confiança de Lula, Gabrielli, segundo o doleiro, determinou a Youssef que captasse 1 milhão de reais entre as empreiteiras que participavam do petrolão a fim de comprar o silêncio da empresa de publicidade. E assim foi feito.  Gabrielli poderia ter realizado toda essa 

manobra sem que Lula soubesse? O fato de ter ocorrido no governo Dilma é uma prova de que ela estava conivente com as lambanças da turma da estatal? Obviamente, não se pode condenar Lula e Dilma com base apenas nessa narrativa. Não é disso que se trata. Youssef simplesmente convenceu os investigadores de que tem condições de obter provas do que afirmou a respeito de a operação não poder ter existido sem o conhecimento de Lula e Dilma — seja pelos valores envolvidos, seja pelo contato constante de Paulo Roberto Costa com ambos, seja pelas operações de câmbio que fazia em favor de aliados do PT e de tesoureiros do partido, seja, principalmente, pelo fato de que altos cargos da Petrobras envolvidos no esquema mudavam de dono a partir de ordens do Planalto.  Os policiais estão impressionados com a fartura de detalhes narrados por Youssef com base, por enquanto, em sua memória. “O Vaccari está enterrado”, comentou um dos interrogadores, referindo-se ao que o do­leiro já narrou sobre sua parceria com o tesoureiro nacional do PT, João Vaccari Neto. O doleiro se comprometeu a mostrar documentos que comprovam pelo menos dois pagamentos a Vaccari. O 

dinheiro, desviado dos cofres da Petrobras, teria sido repassado a partir de transações simuladas entre clientes do banco clandestino de Youssef e uma empresa de fachada criada por Vaccari. O doleiro preso disse que as provas desses e de outros pagamentos estão guardadas em um arquivo com mais de 10 000 notas fiscais que serão apresentadas por ele como evidências. Nesse tesouro do crime organizado, segundo Youssef, está a prova de uma das revelações mais extraordinárias prometidas por ele, sobre a qual já falou aos investigadores: o número das contas secretas do PT que ele operava em nome do partido em paraísos fiscais. Youssef se comprometeu a ajudar a PF a localizar as datas e os valores das operações que teria feito por instrução da cúpula do PT.  Depois da homologação da de­lação premiada, que parece assegurada pelo que ele disse até a semana passada, Youssef terá de apresentar à Justiça mais do que versões de episódios públicos envolvendo a presidente. Pela posição-chave de Youssef no esquema, os investigadores estão con­fiantes em que ele produzirá as provas necessárias para a investigação prosseguir. Na semana que 

vem, Alberto Youssef terá a oportunidade de relatar um episódio ocorrido em março deste ano, poucos dias antes de ser preso. Youssef dirá que um integrante da ­coor­­denação da campanha presidencial do PT que ele conhecia pelo nome de “Felipe” lhe telefonou para marcar um encontro pessoal e adiantou o assunto: repatriar 20 milhões de reais que seriam usados na cam­panha presidencial de Dilma Rous­seff. Depois de verificar a origem do telefonema, Youssef marcou o encontro que nunca se concretizou por ele ter se tornado hóspede da Polícia Federal em Curitiba. Procurados, os defensores do doleiro não quiseram comentar as revelações de Youssef, justificando que o processo corre em segredo de Justiça. Pelo que já contou e pelo que promete ainda entregar aos investigadores, Youssef está materializando sua amea­ça velada feita dias atrás de que iria “chocar o país”. Alberto Youssef também voltou a detalhar os negócios que mantinha com o tesoureiro nacional do PT, João Vaccari Neto, homem forte da campanha de Dilma e 

conselheiro da Itaipu Binacional. Além de tratar dos interesses partidários com o dirigente petista, o doleiro confi rmou aos investigadores ter feito pelo menos duas grandes transferências de recursos a Vaccari. O dinheiro, de acordo com o relato, foi repassado a partir de uma simulação de negócios entre grandes companhias e uma empresa-fantasma registrada em nome de laranjas mas criada pelo próprio Vaccari para ocultar as operações. Ele nega. Alberto Youssef confirmou aos investigadores o que disse o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa sobre o dinheiro desviado da estatal para a campanha da exministra da Casa Civil Gleisi Hoffmann (PT-PR) ao Senado, em 2010. Segundo ele, o repasse dos recursos para a senadora 

petista, no valor de 1 milhão de reais, foi executado em quatro parcelas. As entregas de dinheiro foram feitas em um shopping center no centro de Curitiba. Intermediários enviados por ambos entregaram e receberam os pacotes. Em nota, a senadora disse que não recebeu nenhuma doação de campanha nem conhece Paulo Roberto Costa ou Alberto Youssef. Durante o segundo mandato de Lula, o doleiro contou que foi chamado pelo presidente da Petrobras, José sergio Gabrielli, para tratar de um assunto que preocupava o Planalto. Uma das empresas com contratos de publicidade na estatal ameaçava revelar o esquema de cobrança de pedágio. Motivo: depois de pagar propina antecipadamente, a empresa teve seu contrato rescindido. Ameaçado pelo proprietário, Gabrielli pediu ao doleiro que captasse 1 milhão de reais com as empreiteiras do esquema e devolvesse a quantia à empresa de publicidade. Gabrielli não quis se pronunciar. Desde que Duda Mendonça, o marqueteiro da campanha de Lula em 2002, admitiu na CPI dos Correios ter recebido pagamentos de 

campanha no exterior (10 milhões de dólares), pairam sobre o partido suspeitas concretas da existência de dinheiro escondido em paraísos fi scais. Para os interrogadores de Alberto Youssef, no entanto, essas dúvidas estão começando a se transformar em certeza. O doleiro não apenas confi rmou a existência das contas do PT no exterior como se diz capaz de ajudar a identifi cá-las, fornecendo detalhes de operações realizadas, o número e a localização de algumas delas. O doleiro narrou a um interlocutor que seu esquema criminoso por pouco não atuou na campanha presidencial deste ano. Nos primeiros dias de março, Youssef recebeu a ligação de um homem, identificado por ele apenas como “Felipe”, integrante da cúpula de

campanha do PT. Ele queria os serviços de Youssef para repatriar 20 milhões de reais que seriam usados no caixa eleitoral. Youssef disse que chegou a marcar uma segunda conversa para tratar da operação, mas o negócio não foi adiante porque ele foi preso dias depois. Esse trecho ainda não foi formalizado às autoridades.

Obs do blog: Depois de todas essas provas que provam a roubalheira explícita do PT utilizando a máquina do governo...precisa dizer mais alguma coisa?...é isso que você quer para o Brasil?...entregue nas mãos de corruptos desmascarados por doleiros e ex-diretor da Petrobrás?...se é isso que você acha que o Brasil merece...vote na Dilma e aguente mais 04 anos de roubalheira...se você acha que não e que o Brasil precisa mudar e acabar com essa roubalheira...vote com Aécio...você decide...

O povo está pulando e não consegue mais parar...

Mossoró nesta quarta-feira, 22, para acompanhar Robinson Faria 55 na última passeata dele no município antes da vitória. O movimento, que partiu do bairro Santo Antônio, comandado pelo prefeito Francisco José Júnior com apoio dos vereadores e lideranças, mostrou a força das campanhas de Robinson e Dilma. A movimentação marcou a adesão do suplente de vereador José Domingos Gondim, o Zé Peixeiro, do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB).  Robinson disse que não poderia deixar de vir a Mossoró para agradecer novamente pelo empenho da militância e a vontade da população de fazer mudança. Agradeceu a maioria que conquistou sobre o adversário e voltou a dizer que confia 

que a cidade vai lhe dar a vitória no segundo turno. “Tenho repetido todas as vezes que venho aqui que Mossoró será a fiel da balança na minha campanha, foi assim no primeiro turno e será assim no próximo domingo”, destacou o postulante à chefia do Poder Executivo.  O candidato do PSD reforçou o compromisso de vir a Mossoró ainda no domingo para comemorar a vitória fazendo a tradicional descida do Alto de São Manoel. Disse ainda que, logo nos primeiros dias de janeiro, ao assumir o governo, estará na cidade para começar as primeiras ações. “Vou usar todo o meu tempo para trabalhar pelo Rio Grande do Norte, para que o Estado se recupere das dificuldades e as ações sigam beneficiando todo o nosso povo”, enfatizou o vice-governador Robinson Faria.  Um dos pontos altos do movimento desta quarta foi a adesão do ex-vereador Zé Peixeiro, primeiro suplente do PMDB. “Aqui no Santo Antônio nós já tínhamos o apoio de Chico da Prefeitura e do vereador Heró, mas agora o time está completo com a chegada do amigo Zé Peixeiro, que deixa o lado de lá para somar nesta grande vitória”, destacou o

prefeito Francisco José Júnior, enfatizando a importância da vitória de Robinson e voltou a cobrar da militância o voto casado. “Eu voto em Robinson Faria e voto em Dilma Rousseff e é assim que peço para que nossa militância faça, não por mim, mas pelo bem do Brasil, sobretudo de Mossoró, que terá alinhado um prefeito, um governador, uma senadora e uma presidenta da República”, completou o chefe do Poder Executivo mossoroense.  O candidato ao Governo do Estado, Robinson Faria, deu continuidade à Caravana da Vitória, de Mossoró, ele seguiu para as cidades de Apodi e Felipe Guerra. Encerrando a campanha no interior do Estado, Robinson levou uma multidão às ruas vestida de vermelho.  Em Mossoró, o candidato fez carreata no bairro Santo Antônio com o prefeito

Francisco José Júnior, a senadora eleita Fátima Bezerra e o deputado federal Fábio Faria. Lá, ele recebeu o apoio do vereador Negão de Pajoca e de seu grupo político e lideranças de São José do Seridó.  Uma multidão aguardava o candidato na avenida principal de Felipe Guerra para o comício. Com a presença dos ex-prefeitos Hugo Costa e Braz Costa, Robinson reafirmou seu compromisso de ser o melhor governador que o Rio Grande do Norte já teve e pediu empenho dos eleitores até o próximo domingo para multiplicarem os votos. “Estou na frente nas pesquisas, mas precisamos continuar trabalhando até lá. Eleição a gente só ganha no dia”, ressaltou.  O Calçadão da Lagoa foi pequeno para a multidão que se reuniu para ouvir o discurso de Robinson Faria. O prefeito Flaviano Monteiro preparou uma festa para receber o candidato ao Governo e a senadora eleita Fátima Bezerra. “Se vocês acreditarem, eu vou ser o governador do Rio Grande do Norte. Para isso, preciso do esforço e do empenho de vocês até o próximo domingo”, conclamou o candidato Robinson Faria.

Exemplo de cidadania...
O juiz eleitoral afastado da 33ª Zona Eleitoral (Mossoró), José Herval Sampaio Júnior, conseguiu liberação médica para sair do repouso doméstico no próximo domingo (26). Quer ir votar. Ele sofreu acidente no trânsito há poucos dias. Passou por duas cirurgias (clavícula e bacia), tem um dos braços imobilizado e arranhões por várias partes do corpo. Mesmo “moído” e agradecendo estar com vida, após ser atropelado quando fazia corrida de rua em Mossoró, em rotina matinal, resolveu que vai votar. - Acho que é também uma forma de dar demonstração pessoal em defesa do voto, contra essa onda de falso protesto com abstenção, voto nulo ou branco – diz ao Blog. Herval votará às 8h na secção de número 9, no edifício sede do Serviço Social da Indústria (SESI). - Vou em cadeira de roda, com minha mulher Cheina e uma enfermeira, mas vou (risos) – afirma. A juíza da 34ª Zona Eleitoral, Ana Clarisse Arruda Pereira, prometeu também acompanhá-lo. Na 33ª Zona Eleitoral, a titularidade voltou ao judicante Patrício Lobo, a quem Herval substituíra em face de problemas de saúde dele. (blog Carlos Santos).
Obs do blog: Realmente uma grande pena a ausência do juiz eleitoral Herval Sampaio nessas eleições do segundo turno, um combativo guerreiro contra a corrupção eleitoral. Espero que se recupere o mais rápido possível e volte a exercer sua profissão com dignidade, honestidade e imparcialidade como sempre fez. Queremos parabenizar também o excelente trabalho do chefe do cartório eleitoral da 33 zona, Luís Sérgio, que vem desempenhando a contento seu trabalho em Baraúna.

                                                 Está chegando a hora - Carmem Costa

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Rapidinhas da sexta...

Quando o povo quer....

A carreata e a movimentação política de Robinson Faria ontem em Baraúna superou todas as expectativas com a participação expressiva da população que se vestiu de vermelho e foi as ruas com força total. A participação popular surpreendeu até mesmo os organizadores da movimentação, além da receptividade obtida pela população onde passavam. Mais uma vez ficou patente e visível a diferença entre o grupo que apoia o candidato dos escândalos, que rugiu, rugiu, e mais uma vez pariu um rato. Um verdadeiro fiasco que se retirassem os comissionados que são obrigados a ir assinar o ponto deixariam os oradores falando sozinhos. Pelo andar da carruagem a diferença de 1.668 votos obtidas no primeiro turno deverá duplicar ou triplicar, principalmente pela revolta popular com o enriquecimento explicito do grupelho que está extorquindo os cofres públicos da prefeitura municipal e a vista de todos. O povo não é mais bobo como pensam e sabem muito bem o que está acontecendo e a resposta virá nas urnas mais uma vez. Pelo visto ontem foi só um aviso. 55 neles.

                                                  Força estranha - Caetano Veloso


quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Rapidinhas da quinta...

É possível o Aécio Neves vencer?

Gostaria que o nobre leitor guardasse essa postagem que farei sobre esse tema pois na segunda-feira (27/10) talvez esses argumentos venham a explicar a vitória de Aécio Neves ou não. Pois bem.
As pesquisas mais recentes do Vox Populi e Datafolha mostram Dilma e Aécio empatados tecnicamente (dentro da margem de erro), mas com Dilma numericamente com 3 pontos de diferença. Outro instituto de pesquisa, o Veritá, mostra Aécio na frente com 6%. Tendências ideológicas a parte dos referidos institutos, vamos trabalhar 
somente em cima desses números, haja vista que ainda não consolidada uma tendência de queda ou de ascensão de qualquer candidato. O que pode realmente decidir essa eleição são dois fatores instáveis: o aumento na rejeição de qualquer candidato ou a abstenção dos votos. 
No sentido da rejeição, o PT vem obtendo sucesso nos últimos dias ao explorar uma suposta agressividade de Aécio em relação as mulheres pelo fato de ter ganho o segundo debate de forma indiscutível, mas colocando a presidente literalmente nas cordas. Como ela fez essa pressão em Marina e deu certo (pois Marina preferiu utilizar a estratégia da "coitadinha" visando a vitimização para conseguir o apoio da população mais humilde e não conseguiu êxito) pensou que com Aécio conseguiria o mesmo resultado. Aécio reagiu a altura, se impôs e no final ela passou mal pois não aguenta extrema pressão. Essa suposta agressividade explorada nos discursos retirou votos femininos de Aécio e migrou votos de parte dos indecisos para Dilma.
Mas o que pode realmente tirar Dilma de cena é a abstenção dos eleitores, principalmente no nordeste onde ela predomina absoluta devido ao Bolsa-Família, embora perca nas demais regiões brasileiras. Com cerca de 65% de intenções de votos nas pesquisas, Dilma poderia até se considerar eleita se realmente todos esses eleitores nordestinos votassem nela, mas a coisa não funciona assim. Em 05 de outubro passado, 27,7 milhões de eleitores brasileiros não compareceram às urnas, o número de abstenção mais alto desde o pleito de 1998. Somados aos 4,4 milhões que votaram em branco e mais 6,6 milhões que anularam os votos, um total de 38,7 milhões de eleitores preferiram não escolher um candidato à 
Presidência da República. Esse número representa 29% dos 142,8 milhões de eleitores no país. O nordeste apresenta estados com maior índice de abstenção no país onde o Maranhão (onde Dilma tem cerca de 70% de intenções de votos) foi o estado com o maior índice de abstenção, com 23,6% dos eleitores deixando de comparecer às urnas. O segundo estado nordestino com a maior abstenção foi a Bahia onde 23,2% não votaram.
O embate final será decidido nesses detalhes. Dilma tentando evitar a abstenção no Nordeste e procurando captar votos dos indecisos (que ainda são 5% no Brasil em quase todas as pesquisas), 
enquanto Aécio tenta diminuir a abstenção em São Paulo onde deverá vencer com larga diferença para compensar a dianteira de Dilma no Nordeste e conseguir parte dos indecisos com propostas de combate a inflação e contra a corrupção na onda da mudança.
Como historicamente (nas 4 últimas eleições presidenciais) o PT sempre teve uma votação inferior a divulgada nas pesquisas eleitorais no segundo turno e Aécio surpreendeu a todos os institutos de pesquisas eleitorais no primeiro turno sem exceção (quando a projeção mais otimista desses institutos lhe davam 27% e ele obteve quase 34%), não se surpreendam os nobre eleitores com uma vitória de Aécio no próximo domingo. Vamos em frente.

Mais outro instituto de pesquisa dá vitória para Robinson Faria...

Pesquisa de intenção de votos para o Governo do RN, feita pelo instituto Certus foi divulgada agora pelo blog do BG e os números, considerando os votos válidos, são os seguintes: 

Robinson Faria (PSD) – 51,56% 
Henrique Alves (PMDB) – 48,44% 
A margem de erro é de 3 pontos. 
Brancos/Nulos – 11,26% 
Indecisos – 3,71%
Obs do blog: Com todos os institutos de pesquisa dando a vitória para Robinson Faria, não há mais o que negar: o povo não aprovou o acordão e não aceita um candidato dos Alves com uma série interminável de escândalos tendo seu nome associado a roubalheira explícita da Petrobrás. Apesar do maior número de apoios, o candidato Henrique não consegue agradar com suas propostas ou mesmo com seus ataques desesperados na propaganda eleitoral contra Robinson Faria. 55 neles.

Curtinhas....

Uma reflexão...

Após a derrota humilhante nas urnas no primeiro turno onde não ganhou em nenhuma urna da zona urbana, a prefeita liminar entrou em parafuso e parte para o desespero eleitoral obrigando todos os comissionados a irem as ruas desesperadamente pedirem voto de qualquer jeito para o candidato dos escândalos e que patina na areia movediça em Baraúna não conseguindo sair do lodo que entrou. Além do mais está perseguindo os funcionários que dizem não votar no 15 e colocando pessoas para fora quando assumem a candidatura do 55. Entretanto, o que ela não está conseguindo explicar e convencer a população é como as comunidades rurais continuam sem água, o lixo continua se acumulando nas ruas (apesar de um contrato mensal de R$ 250.000,00), como a Saúde está 

caótica (tanto que ela convidou o competente Luís Miranda para remediar - desculpem o trocadilho - a combalida área da saúde e ele recusou quando viu o tamanho do desastre, principalmente no atendimento a população), como tem secretário seu enricando aos olhos vistos comprando propriedades milionárias, carrões de luxo, casas, tudo isso com um simples salário de R$ 5.000,00 reais que ganha um secretário. Isso significa o quê nobre leitor?....adivinhões....Isso sim é um tapa na cara do povo prefeita liminar que está totalmente algemada pela chantagem, pois não pode sequer abrir o bico sob o risco de dançar nas três liminares em Brasília...será prefeita que realmente vale a pena exercer um governo algemada dessa forma? foi isso que você prometeu ao povo em 2012 e enganou aqueles que
 
acreditaram nas suas palavras? ser manietada, chantageada e ver a prefeitura ser sugada literalmente em seus recursos públicos? você sabe muito bem o que seu marido está passando perante a justiça criminal por conta dos mesmos erros do passado e agora poderá ser você a próxima e entrar num buraco bem mais fundo, mais bem mais fundo mesmo do que entrou o seu marido...você tem uma filha que sofre por conta disso e ela tem razão em lhe alertar pois ela quer o seu bem...pense primeiro na sua família pois ela ficará e continuará...o poder passa assim como os atuais chantagistas que lhe pressionam...pense nisso não como uma ameaça, mas como um conselho de alguém que já lhe ajudou muito no passado e se afastou de você justamente por conta dessas coisas erradas que lhe afligem no momento assim como toda a população baraunense...muitos dos que lhe rodeiam hoje eram seus adversários, votaram contra você em 2012 lhe chamando dos piores nomes possíveis, estão com você somente por interesse e lhes darão as costas na primeira mudança de poder (assim como fizeram com os demais gestores)....hoje dizem que são 15, mas são 15 dias aqui...15 dias acolá...  a melhor coisa do mundo é ter a paz e dormir com a consciência tranquila no travesseiro durante a noite....e isso eu sei que você não tem atualmente por conta da cobiça exagerada pelo dinheiro que assola as pessoas que lhe rodeiam...pense nisso...

                                                    Sous el ciel de Paris - Edith Piaf


terça-feira, 21 de outubro de 2014

Rapidinhas da terça...

Porque o Chico Buarque resolveu sair do silêncio e votar em Dilma...Desse jeito quem não votaria?....


Imagem do comício de Robinson Faria ontem a noite em Pau dos Ferros....faltou chão...bota pra moer...




Curtinhas...

Ele é perseguidor...



O secretário da educação Marcos Antonio está fazendo politicagem no exercício da função pública ao perseguir funcionários que dizem votar no 55. Ele demitiu o filho do saudoso Niel e filho de Niquinha, Nielison, por pura politicagem tirando-o do programa Mais Educação.  Com o histórico de ter sido o principal coordenador de campanha de Isoares Martins e adversário ferrenho da prefeita liminar Luciana Oliveira em 2012,
Quem te viu...e quem te vê....
Marcos Antonio já ouviu xingamentos explícitos e a repulsa de ex-companheiros que não aprovaram de forma alguma a sua mudança radical de opinião, onde ele acusava os atuais dirigentes executivos municipais de rótulos extremamente desagradáveis, onde nomes como "bandidos" e "marginais" faziam parte desse vocabulário dizendo que jamais se aliaria com "esse tipo de gente" . Boca falou, boca pagou. Teve que arrotar tudo direitinho, cuspir no prato que comeu e visando sua própria sobrevivência política tenta remontar  seu antigo grupo repleto de adversários azuis que trabalhou para eleger sua mulher como vereadora visando sua própria candidatura a vereador em 2016 patrocinada pelos dirigentes do atual grupo que o acolheu. Com isso fere os interesses dos próprios vereadores bacuraus de primeira hora que já sabem que uma das vagas do PMDB em 2016 já tem endereço certo. Dessa forma fica valendo para esse governo provisório a máxima de que o ferrenho adversário é que vale a pena colocar nos quadros. Marcos Antonio já teve problemas com os professores e com o sindicato, esquecendo ele que o mundo dá voltas e que sua postura oportunista pode ter reviravoltas. Você está hoje e não está amanhã. Vamos em frente.


                                                          Ainda bem - Marisa Monte


segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Rapidinhas da segunda...

O que faz o desespero...

Em um comício realizado em Belo Horizonte neste sábado - sem a presença de Dilma Rousseff -, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ultrapassou os limites da inconsequência e comandou um show de baixarias e ofensas desmedidas contra Aécio Neves. Foi o ponto mais baixo da campanha até aqui. E não apenas desta campanha: desde 1989 o Brasil não assistia a um festival de ataques como os que o PT hoje protagoniza em uma campanha. Lula não apenas se utiliza das mesmas armas de que foi alvo na campanha contra Collor, como vai ainda mais longe. No comício, o ex-presidente citou o nome de Aécio muito mais que o de Dilma, que se tornou personagem secundário dos discursos. A ordem era atacar, sem tréguas. Em um discurso precedido 
por insultos pessoais ao tucano, Lula disse que Aécio usa violência contra as mulheres, por "experiência de vida", e a tática de "partir para cima agredindo". Ao comentar a estratégia do tucano contra Dilma Rousseff, o ex-presidente insinuou que Aécio costuma bater em mulheres. "A tática dele é a seguinte: vou partir para a agressão. Meu negócio com mulher é partir para cima agredindo", afirmou Lula. O ex-presidente também classificou Aécio de "filhinho de papai" e "vingativo". E o comparou a Fernando Collor. O mesmo Fernando Collor que hoje divide palanques com Dilma, como há uma semana, em Alagoas. Lula ainda voltou a mencionar o episódio em que o adversário deixou de soprar o bafômetro em uma bliz no Rio de Janeiro.  O ato deste sábado deixou claro que a tática do PT na reta final da campanha, após o revés de Dilma Rousseff no debate do SBT, na quinta-feira, será a de expor a presidente Dilma como uma vítima das "grosserias" de Aécio. Foi o que fez Lula neste sábado. "O comportamento dele não é o comportamento de um candidato (...) . É o comportamento de um filhinho de papai que sempre acha que os outros têm de fazer tudo para ele, que olha com nariz empinado. Eu não sei se ele teria coragem de ser tão grosseiro se o adversário dele fosse um homem",
disse o presidente.  O ex-presidente comparou Aécio a Fernando Collor porque, segundo ele, a  
eleição do ex-presidente (aliado do PT) foi fruto da pressão da mídia e de um falso discurso do "novo". "Em 1989, com medo de mim, com medo do Ulysses, do Brizola, com medo do Mário Covas, muitas vezes instigado pela imprensa, este país escolheu o Collor como presidente da República dizendo que era o novo. E vocês sabem o que aconteceu neste país."  Lula também disse que Aécio age como Carlos Lacerda, o estridente líder da oposição a Getúlio Vargas, ao mencionar o "mar de lama" para "esconder o próprio rabo". O petista afirmou que, quando governou Minas Gerais, o tucano perseguiu professores de forma mais intensa do que a ditadura. "Não conheço, em nenhum momento da história, nem no regime militar, um momento em que os professores foram tão perseguidos como foram em Minas Gerais", afirmou Lula. No vale-tudo, Lula tentou até subverter o tempo: indagou o que Aécio fazia quando Dilma foi presa por enfrentar a ditadura - ignorando que, na época, o tucano tinha apenas dez anos de idade.  Inacreditavelmente, Lula tentou definir o adversário com uma frase que resume de forma precisa a tática do PT: "É muito grave, porque as pessoas se acham no direito de desrespeitar 
os outros com muita facilidade e depois ir para a imprensa se passar de vítima. Não é possível."  Mais ataques - Mais cedo, antes de Lula entrar no palanque, o mestre de cerimônias do comício leu uma carta de uma psicóloga petista que atribui a Aécio a prática de espancar mulheres e de uso de drogas, além de classificá-lo como "ser desprezível", "cafajeste" e "playboy mimado". Ela afirma que o tucano tem um "transtorno mental".  Depois, o rapper Flávio Renegado, que discursou já na presença de Lula, do governador eleito Fernando Pimentel e de parlamentares petistas, disse que Aécio costumava fazer festinhas regadas a "pó royal", uma gíria para cocaína. Durante o discurso de Lula, grande parte da militância presente emplacou um grito de "Aécio cheirador", sob a complacência de Lula - o mesmo que, minutos antes, se orgulhara de nunca ter agido de forma desrespeitosa em nenhuma das campanhas eleitorais das quais participou.

 Obs do blog: Esse descontrole emocional e político do ex-presidente Lula mostra de forma clara e indiscutível que a coisa tá feia para os lado da campanha petista. Ninguém parte para o ataque de forma tão desesperada quando a coisa está boa. O tiroteio a artilharia verbal utilizada contra Aécio Neves partindo claramente para questões pessoais, verdadeiras ou não, leva ao entendimento indubitável de que as ideias e os projetos futuros do PT simplesmente não existem, onde sequer um plano de governo foi apresentado para conter a inflação, por exemplo. Ao tentar usar a tática do desespero e da apelação para o mais baixo nível, o ex-presidente Lula utiliza as mesmas práticas dos "filhotes da ditadura", das quais ele mesmo foi vítima, quando de sua campanha presidencial em 1989. Na época,  Lula foi acusado de ter incentivado uma namorada sua a praticar o aborto e o caso foi levado para o programa eleitoral. Esses desespero foi fruto do debate do SBT onde Dilma perdeu em todos os sentidos. Ela gostou de bater em Marina, mas não gostou de ser vencida por Aécio no debate e principalmente no velho estilo do bateu, levou. Partiu para a pancadaria e saiu chamuscada. Acusou Marina de não aguentar pressão e se fazer de coitadinha. No final recebeu na mesma moeda.  
 
O povo tá pulando e não consegue mais parar...Mais um...irmão de Getúlio Rego adere a Robinson Faria...

Na pequena, política e polêmica Riacho da Cruz, no Oeste do Rio Grande do Norte, o ex-prefeito Vilene Rêgo recebeu o candidato Robinson Faria (PSD) neste sábado. Vilene é irmão do deputado Getúlio Rêgo (DEM), que apóia o candidato Henrique Alves (PMDB). E é tio de Bernadete Rêgo (DEM), atual prefeita do município, que segue o “tio Getúlio” no apoio à chapa verde. É pai de Marcos Aurélio, também ex-prefeito de Riacho, que tem o mesmo pensamento de Vilene, mas não estava na cidade ontem. Os palanques locais impediram que o DEM e a família Rêgo se unissem no Oeste. Apesar da simpatia pela candidatura de Robinson, como Marcos Aurélio disse ao Blog no começo da campanha, Vilene e o filho se mantiveram afastados dos palanques. Mas a atrativa reta final fez o irmão de Getúlio se definir e seguir caminho oposto ao do deputado líder. Ontem em Riacho da Cruz, o irmão de Getúlio Rêgo desfilou em carro aberto pela cidade com Robinson.  Na comitiva, a vereadora Iranilda, apoio isolado de Robinson desde o começo da campanha. (Blog da Thaiza Galvão).


Curtinhas... 

Ontem mais uma vez a prefeita liminar foi mentir em Poço Novo dizendo que Baraúna agora é o céu e não o inferno diário que as pessoas vivenciam (como se as pessoas da zona sul morassem numa mansão em Mossoró como ela). Levou 15 carros repletos de comissionados (caso contrário teria falado para as paredes) e contou com a palavra de "tigres arrependidos" (agora é claro - tinha um que durante a campanha em 2012 chamava ela de "Lúcifer' e de R....bom deixa pra lá) que choraram lágrimas de Jacaré (desculpem o trocadilho) jurando amor eterno ao 15 e que essa fidelidade seja eterna enquanto dure,  ou seja, até uma nova troca de poder. Sua obra mais divulgada foi a péssima estrada que leva os moradores de Poço Novo ao Bom Sucesso dos Militares onde a prefeitura colocou uma mistura de calcário com arisco de pior qualidade fazendo uma gambiarra onde ninguém em sã consciência se arrisca a passar. Primeiro porque vai chegar em casa mais branco que um fantasma e segundo porque pode levar uma queda de moto a qualquer instante. Aí veio a pergunta que não quis calar: porque será que a estrada que começa logo na divisa com o Ceará em direção a Limoeiro é de excelente qualidade (mesmo sendo de arisco) enquanto a prefeita liminar traz essa porcaria para a gente para enganar os eleitores e tentar pegar seu voto? a resposta será dada no dia 26 nas urnas. 55 neles.

Tomou nos queixos...ouviu o que não queria ouvir
O troco vem...com juros e correção...

O próprio Henrique Alves ligou para uma importante liderança municipal baraunense e conversou por 12 minutos tentando convencê-la a votar nele. Diante da negativa, o candidato perguntou como estava Baraúna e ouviu o que todo mundo já sabe. Um desastre administrativo sem precedentes Henrique e graças a você que usou de sua influência para manter essa prefeita liminar no poder. A resposta Baraúna lhe deu nas urnas dando uma maioria de 1.668 votos para Robinson Faria e no segundo turno todo mundo diz que vai duplicar. O candidato engasgou e percebeu a burrada que fez ao ser enganado mais uma vez. Não conseguiu o apoio da liderança que disse a ele mesmo que votará no 55. Robinson na cabeça. Troco bem dado.

                                                    A natureza das coisas - Flávio José



domingo, 19 de outubro de 2014

Rapidinhas domingueiras...

 
Pesquisa eleitoral: Minas Gerais responde as agressões a Aécio Neves lhe dando mais de dois milhões de votos de maioria sobre Dilma...
Dilma está fazendo menos votos que no primeiro turno em Minas, colégio eleitoral com mais de 15 milhões de eleitores. É a resposta dos mineiros às agressões do PT.   Pesquisa divulgada ontem pela Multidados Comunicações sobre a preferência dos eleitores mineiros para o segundo turno das eleições presidenciais aponta o senador Aécio Neves, que disputa o cargo pelo PSDB, 12 pontos à frente da presidente Dilma Rousseff (PT), que tenta a reeleição.   De acordo com o levantamento, 50% dos entrevistados afirmaram que votarão em Aécio, enquanto 38% disseram votar em Dilma. Entre os que não escolheram nenhum dos dois candidatos, 5% afirmaram que não 
rejeitam nenhum deles, e outros 7% ficaram indecisos ou não responderam à pergunta. Os entrevistados responderam também a questões sobre a imagem que têm dos presidenciáveis. Sobre o tucano, 11% afirmam ter uma imagem ótima; 45%, boa; 12% avaliam o candidato como regular; 10% o consideram ruim; e 18% disseram que sua imagem é péssima. A imagem da petista foi avaliada como ótima por 9% dos entrevistados; boa por 39%; por 14% regular; por 13% ruim; e 22% afirmam ter imagem péssima de Dilma.   A pesquisa foi feita em 85 municípios, entre os quais 72 em que a petista venceu no primeiro turno e 13 onde Aécio foi o vencedor.   A pesquisa, com o registro BR-01126/2014 na Justiça Eleitoral, foi feita entre os dias 14 e 16 e ouviu 1.254 eleitores. O intervalo de confiança é de 95% e a margem de erro é de 2,8 pontos percentuais.(EM).

Os números não mentem jamais...o povo brasileiro cansou da corrupção do PT....

O resultado das eleições deste ano mostra o desempenho medíocre do Partido dos Trabalhadores (PT) na composição da Câmara Federal, das Assembleias Legislativas e do Senado Federal. Na Câmara, o número de deputados federais caiu de 86 para 70, numa comparação entre as eleições de 2010 e de 2014. O PT encara ainda a diminuição da sua capilaridade nos estados. Não foi eleito um único deputado federal em seis unidades da Federação: Amazonas, Pernambuco, Roraima, Rondônia, Rio Grande do Norte e Tocantins. Além disso, o número de eleitores que votaram em seus candidatos caiu de 14,25 milhões para 11,80 milhões. Em relação aos deputados estaduais nova queda. Os eleitos passaram de 148 para 108. Na disputa para o Senado, conseguiram mandato neste ano apenas 02 vagas, Paulo Rocha (PT-PA) e Fátima Bezerra (PT-RN). Na eleição passada, elegeram-se 11 senadores petistas. A perda mais significativa do Senado vem de São Paulo, onde José Serra (PSDB) venceu Eduardo Suplicy (PT). 

E pula-pula-pula sem parar...o povo tá pulando e não consegue mais parar....

Candidato a deputado estadual pelo PV na Coligação União pela Mudança, com 6.630 votos, o ex-presidente da Câmara Municipal do Natal Edivan Martins anunciou realmente uma mudança. De lado. Declarou apoio hoje em Natal ao candidato ao Governo do Estado adversário, da Coligação Liderados pelo Povo, Robinson Faria (PSD). No primeiro turno ele esteve no palanque de Henrique Alves (PMDB). “O palanque do PMDB é o palanque da contradição, da incoerência política”, afirmou. “Reúne adversários históricos, com bandeiras diferentes e projetos diferentes. Não pode dar certo”, pregou Edivan.

Curtinhas...

Enquanto a prefeita liminar ia mentir ontem a noite em Juremal dizendo que Baraúna agora é uma Suiça (às avessas é claro), mais um assalto acontecia na própria comunidade de Juremal onde uma moto  do filho da vereadora Nenem de Juremal foi roubada através de assalto. A prefeita canoa, que é remada pelos outros, mora em Mossoró (apesar de ter mentido para o povo durante a campanha de 2012 dizendo que viria morar em Baraúna para enganar os bêstas) e pouco está se importando para a segurança dos munícipes baraunenses, inclusive de forma irresponsável mandou fechar a Base

de Segurança criada pelo atual presidente da câmara Tértulo Alves. Com um governo desmantelado e controlado por agiotas, a prefeita que perdeu as eleições nas urnas em 2012, se segura por enquanto nos dedos por três liminares no TSE, condenada em primeira e segunda instância por corrupção eleitoral, tem feito um governo desastroso que leva Baraúna cada vez mais para o buraco. Ontem mais uma vez faltava lençóis no hospital público de Baraúna e a saúde tende cada vez mais a piorar. Enquanto isso, a prefeita que levou uma surra eleitoral no primeiro turno, tenta desesperadamente reverter a lavagem humilhante que sofreu nas urnas utilizando os comissionados que são obrigados a lhe acompanhar, inclusive com o olhar atento do secretário morde-assopra (aquele que dizia que não se juntava com "bandidos e marginais") que fiscaliza (leia-se bota falta) quem veio e quem não compareceu a intimação.

A união faz a força...liderados pelo povo...

O vice-prefeito Edson Barbosa que foi totalmente escanteado pelo desgovernismo local está totalmente engajado na campanha de Robinson Faria em Baraúna, participando das atividades. O presidente do PV baraunense foi candidato a deputado estadual obtendo 481 votos somente em Baraúna e certamente terá um papel importante na construção de uma maioria mais relevante ainda para Robinson Faria no segundo turno em nível local. Além de Edson Barbosa, estão participando diretamente nessa luta os vereadores Flávio Mathias, Divanise, Nenem de Juremal, Tértulo Alves e Ruberlândio Queiroz. Diversas lideranças municipais compostas por ex-vereadores, líderes comunitários e formadores de opinião se engajaram também nessa luta, entre os quais, Daniel Pereira, Fábio Moura, João Fiscal, Marcos Fábio, Madalena, José de Araújo Dias, Wilson Cabral, Arimatéia do Juremal, professor Chico Carneiro, Marcondes, entre tantos outros.

Dilema shaskesperiano...Ser...ou não ser...eis a questão...

Em Baraúna está acontecendo um fenômeno político interessante: várias lideranças políticas importantes da oposição (não citemos nomes para evitar constrangimentos) estão numa encruzilhada onde seus partidos fizeram coligação com o candidato do acordão (afinal de contas foram 18 partidos em nível estadual que foram marcado a ferro feito gado), mas não se empenham como deveriam na campanha estadual justamente pelo reflexo que teria no montante de votos que por tabela iria ser reivindicado pelo desmantelado grupo governista do PMDB local. Ou seja, caso se empenhassem o papagaio comeria o milho e o periquito levaria a fama...na via das dúvidas o melhor é cruzar os braços, não se expor e nem declarar votos para Robinson (devido a fidelidade partidária) e ver o que acontece...por dentro torcendo e rezando pela vitória do 55 (mas por favor que isso fique somente entre nós...é segredo...confio na sua discrição...obrigado nobre leitor).

                                             Utopia (padre Zezinho) - canta Silvio Brito


sábado, 18 de outubro de 2014

Rapidinhas do sábado...

Nova pesquisa Isto é/sensus mostra Aécio consolidado na frente.... 

Pesquisa ISTOÉ/Sensus realizada entre a terça-feira 14 e a sexta-feira 17 mostra a consolidação da liderança de Aécio Neves (PSDB) sobre a petista Dilma Rousseff no segundo turno da sucessão presidencial. De acordo com o levantamento, o tucano soma 56,4% dos votos válidos, contra 43,6% da presidenta. Uma diferença de 12,8 pontos percentuais, que representa cerca de 19,5 milhões de votos. Se fossem considerados os votos totais, Aécio teria 49,7%; Dilma, 38,4%; e 12% dos eleitores ainda se manifestam indecisos ou dispostos a votar em branco. A 
pesquisa indica que nessa reta final da disputa os dois candidatos já são bastante conhecidos pelos eleitores. O índice de conhecimento de Dilma é de 94,4% e de Aécio, de 93,3%. “Com os candidatos mais conhecidos, a tendência é a de que o voto fique mais consolidado”, afirma Ricardo Guedes, diretor do Instituto Sensus. O levantamento, que ouviu 2.000 eleitores de 24 Estados, revela também a liderança de Aécio Neves quando não é apresentado ao eleitor nenhum candidato. Trata-se da chamada resposta espontânea. Nesse quesito, o tucano foi citado por 48,7% dos entrevistados e a petista, que governa o País desde janeiro de 2011, por 37,8%.´Realizada em 136 municípios, a pesquisa ISTOÉ/Sensus também constatou que a campanha petista não conseguiu reduzir o índice de rejeição à candidata Dilma Rousseff. Quase metade do eleitorado, 45,4%, afirma que não admite votar na 
presidenta de maneira alguma. Com relação ao tucano, segundo o levantamento, a rejeição é de 29,9%. “Isso significa que a margem de crescimento da candidata Dilma é menor do que a de Aécio”, avalia Guedes. Os números mostram, segundo a pesquisa, uma forte migração para o senador tucano dos votos que foram dados a Marina Silva (PSB) no primeiro turno. Desde 1989, quando o Brasil voltou a eleger diretamente o presidente da República, é a primeira vez que um candidato que terminou o primeiro turno em segundo lugar começa a última etapa da disputa na liderança. A pesquisa Istoé/Sensus divulgada no sábado 11 já apontava esse movimento, quando revelou que Aécio estava com 52,4% das intenções de voto. Na última semana, os levantamentos que são feitos diariamente pelo comando das duas campanhas também mostraram a liderança de Aécio. É com base nessas consultas que tanto o PT como o PSDB planejam a última semana de campanha. E tudo indica que o tom será cada vez mais quente. No PT há uma divisão. Um grupo sustenta que a campanha deve aumentar o tom dos 
ataques contra Aécio e outro avalia que a presidenta deva imprimir um ritmo mais propositivo à campanha. O mais provável, no entanto, é que a campanha de Dilma continue a jogar pesado contra o tucano. Segundo Humberto Costa, líder do PT no Senado, o partido vai insistir na tese de que é necessário “desconstruir a candidatura tucana”. “Não basta ficar defendendo nosso governo”, disse o senador na sexta-feira 17. Claro, trata-se de um indicativo de que a campanha de Dilma vai continuar usando a mesma tática. “Se deu certo contra Marina, deverá dar certo contra Aécio”, afirmou Costa.No QG dos tucanos, a ordem é não deixar nada sem resposta e continuar mostrando ao eleitor os inúmeros casos de corrupção que marcam as gestões petistas, particularmente os quatro anos do governo de Dilma. “Não podemos nos colocar como vítimas. O que precisamos é mostrar nossas propostas, mas em nenhum momento deixar de nos defender com veemência das armações feitas pelos adversários”, disse um dos coordenadores da campanha de Aécio Neves. “Marina tentou apenas fazer a campanha propositiva e acabou atropelada pela máquina de calúnias do PT.” Nessa última semana de campanha, Aécio vai intensificar a agenda em Minas e no Nordeste, principalmente na Bahia, em Pernambuco e no Ceará.

Curtinhas...

Responsável pela Rede Sustentabilidade no Rio Grande do Norte, o ex-candidato a deputado, Gladier, disse hoje que segue orientação do comando nacional da sigla e apóia Aécio Neves (PSDB) para presidente. Porém, no cenário local, a Rede, de Marina Silva, vai de Robinson Faria (PSD) para o Governo. “Ou então de nulo ou branco”, disse Gladier ao Blog.(Thaiza Galvão)



Vale tudo eleitoral...

A prefeita liminar em seu desespero para reverter a surra eleitoral que levou no primeiro turno está apelando para tudo: usa e intimida os cargos comissionados que viraram todos cabos eleitorais em prol do 15, além de pressionar os contratados a votar em seu candidato, caso contrário cai fora. Uma denúncia contra um vereador da prefeita canoa que está oferecendo vaga de leite em troca de apoio para Henrique Alves já está sendo montada juridicamente e será encaminhada a justiça eleitoral com testemunhas orais. Além de vaga de leite, tem também à disposição do eleitor para trocar de voto vaga no Bolsa-Família e emprego na prefeitura. Outra denúncia é sobre material de construção que está sendo oferecido por uma pessoa que tem deficiência na fala e o caso também já está sendo apurado. Em outras palavras: vale-tudo em prol de reverter a derrota do primeiro turno e tentar assegurar a permanência da prefeita liminar no poder devido a influência de Henrique.

Você não está enxergando 55 e sim o 15...

Um dos casos mais aberrantes nesse jogo sujo é de um determinado oftalmologista de PSF que está fazendo política em plena atividade de trabalho no serviço público e tentando aliciar a s pessoas a votar no 15 durante o seu expediente de trabalho. A denúncia também já está sendo encaminhada para a justiça eleitoral para montagem do processo judicial. Atende as pessoas que vão fazer suas consultas no PSF e ao mesmo tempo pede o voto para o 15. Uma vergonha que um profissional da saúde se preste para esse tipo de papel em pleno exercício de sua atividade profissional. O caso será apurado.

 Me dê um copo d'água por favor....

Na comunidade do Juremal (no Vertentes e em Campestre nem isso) foi cavado uma viela em forma de buraco para enganar o povo dizendo que vai colocar água e até agora nada de canos. Segundo os diversos comentários de moradores daquela comunidade a resposta será dada no dia 26 próximo. Lá o candidato do acordão que não veio a Baraúna nem para tomar água (enquanto Robinson já veio duas vezes) levou uma surra de 200 votos de maioria e a tendência agora é duplicar, mas segundo Arimatéia, Nenem do Juremal, Odilon e Medeiros a coisa tá bem pior do que se pensa devido a insatisfação de toda população local.

                                                      Jeito de santa - Reginaldo Rossi